Fandom

Harry Potter Wiki

Gerardo Grindelwald

2 045 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Gellert Grindelwald (c. 1882 — março, 1998) é uma personagem fictícia na série de livros Harry Potter, pela autora britânica J.K. Rowling. Grindelwald é uma personagem meramente aludida no primeiro livro da heptalogia, Harry Potter e a Pedra Filosofal, mas tem um papel de maior relevo no último volume, Harry Potter e as Relíquias da Morte, em que é crucial para o desenvolver do enredo relativo à Varinha das Varinhas("Elder Wand" em inglês, e "Varinha de Sabugueiro" nas edições portuguesas).

Grindelwald (pronunciado Grindelvald) é recordado como um dos mais terríveis e poderosos bruxos das trevas na história da magia, perdendo apenas para Tom Servolo Riddle, que aterrorizou a Europa Continental na década de 1940, empunhando a Varinha das Varinhas, a varinha mais poderosa em existência.

Ele foi educado no Instituto Durmstrang, até sua expulsão. Posteriormente, ele desenvolveu uma forte ami

zade com Albus Dumbledore], enquanto morou em Godric's Hollow, com sua tia Batilda Bagshot. Os dois fizeram planos para conseguir as Relíquias da Morte e liderar uma revolução bruxa com o objetivo de romper com o Estatuto Internacional do Sigilo e criar uma ordem global liderada por bruxos com os trouxas sendo oprimidos. Tal parceria acabou após um duelo de três, no qual também estava envolvido Aberforth Dumbledore, e que resultou na morte de Ariana Dumbledore. Após isto, Grindelwald deixou a Grã-Bretanha e roubou a Varinha das Varinhas de Gregorovitch. Ele estabeleceu seu Quartel-General em Nurmengard.

Em 1945, no auge de seu poder, Grindelwald duelou com Dumbledore, porém, apesar de ter Varinha do Destino, acabou sendo, um duelo que, segundo Elphias Doge, inspirou "terror e admiração" a todos quantos assistiram ao embate mágico. Grindelwald foi preso na prisão que ele próprio edificara para os seus opositores, Nurmengard, onde acabou por ser morto por Lord Voldemort quando se recusou a prestar-lhe informações sobre a Varinha das Varinhas que lhe havia sido ganha por Dumbledore.

Ele era uma figura complexa, marcada por idealismos, mas também por tendências sociopatas e ligado as Artes das Trevas. Ele não era um assassino em massa ou um torturador, mas ele e seus seguidores cometeram inúmeros crimes, inclusive vários assassinatos conhecidos.

HistóriaEditar

Vida pregressa Editar

Gellert Grindelwald nasceu por volta de 1882, muito provavelmente na Europa Central ou Oriental, apesar de a Escandinávia ser também uma possibilidade. Foi educado no Instituto Durmstrang e, como aluno, provou ser tão brilhante e talentoso na magia como Albus Dumbledore que, por volta da mesma altura, recebia a sua formação na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, na Escócia. Todavia, Grindelwald não usou os seus talen tos consideráveis para ganhar prêmios e honra como Dumbledore; em vez disso, ele escolheu a experimentação nas Artes Negras. As suas incursões na área tornaram-se de tal modo sadísticas que chegou ao ponto de quase matar alguns dos seus colegas, e por causa disso, foi expulso de Durmstrang em 1898, com dezesseis anos de idade.

Grindelwald era particularmente interessado nos Relíquias da Morte, tendo usado o símbolo das mesmas como seu, e gravando-o numa das paredes de Durmstrang antes da sua expulsão.

Amizade com Dumbledore Editar

A sua investigação sobre o assunto levou-o à sua tia-avó, a célebre historiadora mágica Bathilda Bagshot, habitante de Godric's Hollow, na Inglaterra, onde Ignotus Peverell, lendário dono da Capa da Invisibilidade, uma das Relíquias, havia vivido e fora sepultado.

Foi em Godric's Hollow que Grindelwald conheceu e fez amizade com Albus Dumbledore, um jovem feiticeiro acabado de sair de Hogwarts, tão talentoso e brilhante quanto ele. Os dois adolescentes tornaram-se unidos pelas suas ambições para a glória e travaram planos para formar uma "nova ordem mundial", na qual feiticeiros dominariam sobre os Trouxas. Ambos partilhavam um fascínio sobre as Relíquias, por razões distintas: Dumbledore desejava utilizar a Pedra da Ressurreição para trazer de volta os seus pais falecidos, enquanto Grindelwald desejava-a para formar um exército de Inferi; obviamente, Grindelwald não tinha muito conhecimento sobre os verdadeiros poderes das Relíquias. Os dois, juntos, cunharam a frase que se tornaria mais tarde no mote de Grindelwald, e a sua justificação para cometer crimes hediondos contra todos aqueles que se opusessem a ele: "Para um Bem Maior". Os dois tornaram-se inseparáveis, ao ponto de Dumbledore chegar nutrir um atração romântica por Grindelwald. Grindelwald apercebeu-se da atração de Dumbledore e usou-a para seu proveito, manipulando-o até ele o ajudar inquestionavelmente nos seus planos.

Ele não pareceu nada satisfeito — referiu Aberforth, e os seus olhos ficaram brevemente toldados pelo reflexo da lareira nas lentes dos seus óculos, que mais uma vez brilharam, brancas e cegas. — O Grindelwald também não gostou nada mesmo. Zangou-se. Disse-me que eu não passava de um rapazola estúpido, que estava a tentar impedi-lo e ao meu brilhante irmão... seria que eu não compreendia que, mal eles mudassem o mundo, a minha pobre irmã não teria de ficar escondida? Eles iam revelar a existência dos feiticeiros e meter os Muggles no seu devido lugar. E houve uma discussão... puxei da minha varinha, ele puxou da sua e o melhor amigo do meu irmão aplicou-me a Maldição Cruciatus...
Harry Potter e os Talismãs da Morte — Capítulo XXVIII (O Espelho Desaparecido),

Aberforth Dumbledore, irmão de Albus, apercebeu-se dos planos dos dois feiticeiros, e tentou dissuadir Albus de levar a sua irmã mais nova, Ariana, que era perturbada e magicamente instável, consigo na sua demanda, sabendo que ela nunca receberia o carinho e atenção que precisava para ficar estável e segura. Grindelwald lançou uma Maldição Cruciatus a Aberforth, e Albus, juntou-se tentando proteger o seu irmão, resultando num duelo de varinhas entre os três. Ariana, todavia, ficou desorientada com os clarões e estrondos dos feitiços e foi atingida por um feitiço perdido, tendo morrido no lugar. Tanto Albus como Aberforth ficaram desolados. Albus acabou a sua amizade com Grindelwald, que fugiu do país nunca fazendo atenção de ser associado à morte de Ariana, tendo em conta que já era detentor de uma má reputação no seu país de origem.

Ascensão ao Poder Editar

Trabalhando sozinho a partir de então, Grindelwald descobriu o paradeiro da Varinhas das Varinhas, na sua busca pelas Relíquias da Morte. Circulavam rumores que Gregorovitch, um fabricante de varinhas de renome, tinha a Varinha e tentava replicar as suas propriedades. Grindelwald assaltou a oficina de Gregorovitch e atordoou o feiticeiro, tendo conseguido, por isso, ganhar a lealdade da varinha. Ele provavelmente tinha tido a ideia de que o dono anterior não precisava ser morto para que a propriedade da varinha passasse para outro, ao contrário do que muitos pensavam.

Ao longo dos anos, Grindelwald formou um exército e começou um reino de terror que se espalhou por vários países Europeus, apesar de nunca ter tentado tomar o poder na Grã-Bretanha por ter receio de ter de enfrentar o seu velho amigo, Dumbledore, que era "um tudo-nada mais habilidoso" do que ele. Durante o seu poderio, Grindelwald construiu a prisão de Nurmengard, destinada aos seus opositores, e assassinou inúmeros feiticeiros, dentre os quais o avô de Viktor Krum, tudo isto ostensivamente "Para um Bem Maior", a frase que gravou à entrada de Nurmengard. Embora não matasse tão descaradamente quanto Voldemort, alusões feitas sobre sua ascensão ao poder indicam que ele operou em larga escala: Dumbledore, por exemplo, se referiu a construção de seu exército e que, ao contrário de Voldemort, ele se sentiu seguro o suficiente para construir uma prisão.

Mas enquanto eu me entretinha a ensinar novos feiticeiros, o Grindelwald andava a formar um exército. Há quem diga que ele me receava, e talvez fosse verdade, mas de certeza que me receava menos do que eu o receava a ele. Oh, não era a morte — disse Dumbledore, em resposta à expressão inquiridora de Harry. — Nem as magias que podia fazer contra mim. Sabia que estávamos mais ou menos à mesma altura, talvez eu fosse um tudo-nada mais habilidoso. O que eu receava era a verdade. Nunca soube qual de nós, naquele derradeiro e terrível combate, tinha lançado a maldição que matou a minha irmã. O que eu mais temia, Harry, era descobrir que tinha sido eu a causar a morte dela, não só com a minha arrogância e estupidez, mas por ter sido eu mesmo a executar o golpe que a arrancou à vida. Acho que ele sabia, acho que ele sabia o que eu verdadeiramente temia. Continuei sempre a protelar um eventual encontro com ele até que, a certa altura, se tornou demasiado vergonhoso continuar a resistir. Havia gente a morrer, e ele parecia imparável. Tinha de fazer tudo o que estivesse ao meu alcance.
Harry Potter e os Talismãs da Morte — Capítulo XXXV (King's Cross),

Queda e prisão Editar

Quando as suas ações se tornaram "demasiado", ele foi finalmente confrontado pelo seu velho amigo, Albus Dumbledore que o venceu em duelo, em 1945. Testemunhas afirmaram, segundo Elphias Doge, que foi o maior duelo alguma vez travado entre feiticeiros. Dumbledore tornou-se, então, Mestre da Varinha das Varinhas, e Grindelwald foi enviado para a sua terra natal, e encarcerado na cela mais alta de Nurmengard, onde ele passou os restantes 53 anos da sua vida.

Dumbledore hesitara em enfrenta-lo, apesar da crença de muitos que ele era o único suficientemente hábil de parar seu ex-amigo. Suas razões podem ter sido: afeição residual a seu ex-amigo ou simpatia por seus objetivos revolucionários ou vergonha sobre seu papel na formação da revolução de Grindelwald, porém, segundo Dumbledore, a verdadeira razão era que ele sabia quem era o responsável pela morte de Ariana e ele, Dumbledore, não queria descobrir.

Morte Editar

53 anos volvidos, já tinha surgido Lord Voldemort que à altura, se encontrava no seu apogeu, exercendo domínio sobre o Ministério da Magia britânico e, por conseguinte, toda a comunidade mágica da Grã-Bretanha. Voldemort, em 1998, dedicou-se à procura da Varinha das Varinhas com a qual poderia derrotar Harry Potter, símbolo da resistência contra si, e seu inimigo mortal. A sua busca pela Varinha levou-o à cela de Grindelwald. Este não lhe revelou a localização da Varinha, preferindo rir-se dele, não mostrar medo, afirmar que havia muito que ele desconhecia e chama-lo pelo nome. Este último ato de Grindelwald pode muito bem ter sido uma espécie de redenção por todo o mal que infligiu durante a sua vida. Voldemort, num rasgo de fúria, pôs termo à vida de Grindelwald com a Maldição da Morte nessa mesma cela.

Aparência física Editar

Quando jovem, Grindelwald tinha cabelo loiro dourado.

Perto do fim de sua vida, ele estava magro, esqueletico e frágil, com um rosto de caveira, com bochechas enrugadas e a maioria dos dentes faltando.

Personalidade e traços Editar

Grindelwald foi charmoso e brilhante como um jovem bruxo. Sua atração para as Artes das Trevas, era previsível dada a sua personalidade e fundo. Ele era muito inteligente, magicamente talentoso, idealista, assim como ambicioso a ponto de crueldade, com um temperamento vicioso: por exemplo, quando Aberforth Dumbledore desafiou os planos dele e de Albus e tentou convencer seu irmão a abandoná-los, Grindelwald "perdeu o controle" e usou a Maldição Cruciatus em Aberforth. Alguns consideram Grindelwald o mais poderoso considerado bruxo das trevas da história, depois de Lord Voldemort, é claro. Claro, a história é muito longa, e as peças mais recentes são muitas vezes mais lembradas.

Alguns consideram Grindelwald como tendo sido um bruxo das trevas inequivocamente mal, mais ou menos um Voldemort-anterior-Voldemort. Mas existem duas evidências que sugerem o contrário. Em primeiro lugar, a sua decisão de atordoar Gregorovitch, não matar, quando ele adquiriu a Varinha das Varinhas aponta para uma vontade de não matar simplesmente como uma questão de disciplina. No entanto, isso poderia ter sido uma decisão calculada, talvez considerando que as pessoas estavam mais propensas a dar crédito às afirmações de Gregorovitch que ele tinha tido a Varinha das Varinhas se ele foi assassinado, como que era o método tradicional de passá-la. Em segundo lugar, parte de sua motivação para se recusar a dar a Voldemort qualquer informação sobre a Varinha das Varinhas pode ter sido um desejo de evitar que o túmulo de Dumbledore fosse profanado, ou mesmo remorso por seus próprios crimes. Como alternativa, ele pode ter apenas pretendido insultar Voldemort.

Capacidades e habilidades mágicas Editar

  • Artes das Trevas: Grindelwald tinha um talento e paixão para as Artes das Trevas a partir de uma idade jovem. Em seus dias de escola, ele experimentou com Artes das Trevas em seus amigos em Durmstrang. Seus experimentos em Artes das Trevas eram quase letais, mesmo em sua juventude. Como um adulto, ele quase aperfeiçoou quase todos os aspectos da Magia Negra que o levou ao topo da lista dos mais perigosos bruxos das trevas de todos os tempos, muito antes de Lord Voldemort aparecer. Grindelwald era adepto de lançar a Maldição Cruciatus, e utilizou-o em pelo menos em uma ocasião contra Aberforth Dumbledore, nomeadamente quando o outro tinha apenas dezesseis ou dezessete anos de idade.
  • Duelo: Grindelwald era um duelista altamente qualificada, capaz de lutar com Albus Dumbledore quando ele estava no auge de seu poder: seu duelo entrou para a história como o maior duelo já travado entre dois bruxos. Ele também foi capaz de rapidamente atordoar Gregorovitch, a fim de dominar a Varinha das Varinhas. Ele também duelou tanto Alvo e Aberforth quando os três eram jovens. Ele derrotou e matou muitas bruxas e bruxos poderosos em duelos durante o seu reinado de terror na Europa. No entanto, Grindelwald acabou por ser incapaz de derrotar Albus apesar do fato de que ele estava empunhando a Varinha das Varinhas no momento. Albus descreveu a si mesmo como "um tom mais hábil" do que Grindelwald.
  • Conhecimento sobre a Varinha das Varinhas]: Grindelwald tinha consciência de que para assumir o controle da Varinha das Varinhas ele precisava não apenas roubar a varinha, mas derrotar o proprietário anterior.
  • Invisibilidade: Albus Dumbledore disse que Grindelwald poderia ficar invisível sem o uso de uma capa de invisibilidade: para alcançar tal estado, Grindelwald teria usado um extremamente poderoso Feitiço de Desilusão. Deve-se notar que ele foi capaz de conseguir este feito quando ele era apenas um adolescente.
  • Oclumência: Grindelwald foi um Oclumente extremamente realizado, pois mesmo Voldemort, que ganhou a reputação de ser um dos mais talentosos Legilimentes vivos, foi incapaz de penetrar em sua mente para obter informações para a busca da Varinha das Varinhas.
  • Necromancia (possivelmente): Grindelwald esperava usar a Pedra da Ressurreição para criar um exército de Inferi. Apesar de nunca ter adquirido a pedra que é possível que ele ainda conseguiu convocá-los através de outros métodos.

Por trás das cenas Editar

  • Em uma entrevista de 2005 em torno do mesmo tempo Harry Potter e o Enigma do Príncipe era publicado, Rowling declarou que não era uma coincidência que ele foi derrotado em 1945, insinuando uma conexão com Adolf Hitler e, pelo menos, o front europeu da Segunda Guerra Mundial. Grindelwald parece ser a versão bruxa de Adolf Hitler. Como referenciado por Rowling, a data do duelo de Grindelwald com o Dumbledore coincide com a queda da Alemanha nazi. Há outras semelhanças. Grindelwald adotou um símbolo antigo como seu sigilo (o símbolo das Relíquias da Morte), assim como os nazi adotaram o manji em si um símbolo antigo. Além disso, a prisão Nurmengard compartilha um nome semelhante para a cidade da Francônia de Nuremberg, onde se realizavam os julgamentos dos crimes de guerra dos ex-nazistas. O papel duplo da Nurmengard como prisão para as vítimas e depois para o agressor pode ser uma referência ao duplo significado de Nuremberg na Segunda Guerra Mundial, que, além de ser o local dos julgamentos de Nuremberg, foi também o local da proposta e aprovação das Leis de Nuremberg, leis discriminatórias e infames contra o povo judeu. Eventualmente Grindelwald ser o único prisioneiro em sua prisão é possivelmente uma referência ao destino de Rudolf Hess, que a partir de 1966 até sua morte, em 1987, era o único prisioneiro de prisão de Spandau.
  • Foi revelado por JK Rowling durante uma turnê em 2007 que Albus Dumbledore era homossexual, bem como sentimentos românticos que mantivera com Grindelwald. Embora ela inicialmente não comentasse sobre a sexualidade de Grindelwald, Rowling mais tarde esclareceu que, embora Grindelwald estivesse ciente dos sentimentos de Dumbledore, ele apenas usou para manipular o outro garoto e não retribuia-os romanticamente.
  • Apesar de ter sido expulso da escola, Grindelwald nunca teve sua varinha confiscada e destruída, como ele a tinha com ele quando planejou a revolução e atacou Gregorovitch para tomar a Varinha das Varinhas, embora ele poderia ter simplesmente encontrado outra varinha como substituta. É possível também que a lei bruxa do país do Grindelwald lhe permitiu manter a varinha após a expulsão.
  • Não se sabe por que motivo Grindelwald é considerado um Lorde das Trevas menor do que Voldemort, como o próprio Voldemort é conhecida apenas para aterrorizar a Grã-Bretanha, enquanto Grindelwald aterrorizou toda a Europa (na realidade, o grau de sucesso e crimes de Grindelwald não são claros nos livros, provavelmente não era maior do que Voldemort). Uma possibilidade é que a sua posição inferior é estritamente no ponto de vista da Grã-Bretanha, ou simplesmente porque a campanha da de Voldemort é mais recente e por isso é mais fortemente gravadas na memória do público. Isso também pode ser devido a seus diferentes objetivos: Grindelwald apenas queria dominar e governar os trouxas, enquanto Voldemort queria matá-los imediatamente, junto com qualquer um que ele não é considerado de sangue puro.

Aparições Editar

Notas e ReferênciasEditar

  1. O instituto Durmstrang não admite alunos Nascidos-trouxas, portanto ele era Puro-sangue ou Mestiço.
  2. é provável que ele tenha tido outra varinha antes da Varinha das Varinhas.

Ver também Editar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória