Fandom

Harry Potter Wiki

Maldição Imperius

2 045 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

A Maldição Imperius (Imperio,) é uma ferramenta das Artes das Trevas e uma das três maldições imperdoáveis. É uma das magias mais poderosas e sinistra conhecidas no mundo bruxo. Quando lançada co sucesso, coloca a vítima sob o controle daquele que a lançou, embora uma pessoa com força de vontade excepcional seja capaz de resistir a ela.

História Editar

Criação Editar

A Maldição Imperius foi inventada durante o início da Idade Média por Bruxo das trevas. A maldição foi criada para a coerção e lavagem cerebral de outros à escravidão.

Status legal Editar

Após as formação do Ministério da Magia Britânico, restrições mais severas foram colocadas sobre a utilização de certos tipos de magia. A Maldição Imperius foi considerada pelo Ministério como sendo magia negra, e, juntamente com as maldições Cruciatus e da Morte, foram declaradas "imperdoáveis" em 1717. A utilização de qualquer uma dessas três maldições sobre um ser humano poderia resultar em uma sentença de prisão perpétua em Azkaban, a menos que haja provas suficientes de que a pessoa fez isso sob a influência da Maldição Imperius de outro; isso tende a ser uma brecha daa qual muitos Bruxos das Trevas se aproveitam.

Muitos fieis do segredo foram colocados sob a Maldição Imperius a fim de apreender o segredo guardado, porém sempre tendo resultados infrutíferos, pois o Fiel deve revelá-la de bom grado.[1]

Durante a Primeira Guerra Bruxa, quando Bartô Crouch Sr. esteve a cargo do Departamento de Execução das Leis da Magia, ele lutou contra a violência com violência, e legalizou as três Maldições Imperdoáveis ​​para os Aurores usarem contra os Comensais da Morte, a fim de ganhar a guerra. Isto foi revogada, uma vez que a guerra acabou, já que não era mais necessário. Foi também nessa época que muitos Comensais da Morte, como Lúcio Malfoy e Walden Macnair, alegaram que tinham servido a Lord Voldemort apenas por causa da Maldição Imperius. Enquanto as suas alegações foram aceites, o Ministério tinha ido tão longe como para atribuir pessoas para determinar quem verdadeiramente estava a maldição, e quem está mentindo para escapar da punição; no entanto, eles não eram perfeitos na captura de decepção, como Malfoy e Macnair, juntamente com vários outros, ainda iludiram a justiça.

Aula sobre as Imperdoáveis.png

Aula de DCAT sobre as Maldições Imperdoáveis.

No Ano letivo 1994-1995, Bartô Crouch Jr., sob o disfarce de Alastor Moody, mostrou estas três maldições aos seus alunos do quarto ano usando-as em aranhas, apesar da desaprovação do Ministério. Mais tarde, na verdade, ele alegou que ele tinha permissão para executar a Maldição Imperius sobre os alunos, a fim de ensiná-los a resistir a ela. Os estudantes sob a maldição eram todos completamente sob o comando de Crouch, e não puderam resistir, no mínimo, realizando proezas físicas que não conseguiriam fazer normalmente; Harry Potter foi o único que conseguiu resistir a maldição completamente.

Quando Lord Voldemort assumiu o Ministério, as três maldições foram mais uma vez legalizadas: desta vez cada bruxo e bruxa tinha o direito de usá-los como bem entendessem. Na verdade, eles eram praticados em Hogwarts como parte do currículo na classe Artes das Trevas sob a tutela do Professor Amico Carrow. Depois da morte de Voldemort e a subversão do Ministério sob ministro Kingsley Shacklebolt, as três maldições foram novamente proibidas.

História de uso Editar

"Há alguns anos, havia muitos bruxos e bruxas controlados pela Maldição Imperius. Foi uma trabalheira para o Ministério separar quem estava sendo forçado a agir de quem estava agindo por vontade própria."
Bartô Crouch Jr. (disfarçado de Alastor Moody) sobre a controvérsia em relação a Maldição Imperius[fnt]
Pius Thicknesse.png

Pio Thicknesse, colocado sob efeito da Maldição Imperius em Julho de 1997.

Comensais da Morte fez uso da maldição, tanto na Primeira e Segunda Guerras Wizarding para forçar as pessoas inocentes para fazer o seu lance. Por exemplo, Lúcio Malfoy usou a Maldição Imperius para forçar Broderico Bode e Estúrgio Podmore para tentar roubar uma profecia do Departamento de Mistérios em 1996,[2] e Yaxley colocado a Maldição Imperius em Pio Thicknesse como parte do plano para assumir o Ministério da Magia, em 1997.[3] em 1998, Harry Potter usou a maldição três vezes em dois indivíduos diferentes para que o trio de quebrar-se para Gringotes mágico Banco sem ser detectado.

Ironicamente, muitos Comensais da Morte, como Lúcio Malfoy, evitou a prisão em Azkaban após a primeira derrota de Voldemort em 1981, alegando que eles haviam estado sob a Maldição Imperius.[4] Como tal, tornou-se o trabalho do Ministério para determinar quem estava mentindo, mesmo embora muitas "vítimas" conseguiu enganá-los.

Natureza Editar

Efeito Editar

Viktor Krum sob a Imperius.jpg

Vítor Krum sob influência da Maldição Imperius.

"Foi uma sensação maravilhosa. Harry sentiu que flutuava e todos os pensamentos e preocupações em sua mente desapareceram suavemente, deixando apenas uma felicidade vaga e inexplicável. Ele ficou ali extremamente relaxado, vagamente consciente de que todos o observavam."
Harry Potter enquanto sob a Maldição Imperius[fnt]

Ao contrário das outros Imperdoáveis, ser submetido à Maldição Imperius não é uma experiência desagradável, na verdade, muito pelo contrário; vítima de uma maldição Imperius é colocado em uma calma, em um estado de transe em que todo o sentimento de responsabilidade e ansiedade são banidos (paralelos para o fenômeno do mundo real conhecido como hipnose, que também é frequentemente retratada na ficção - ainda que de forma imprecisa - sendo capaz de colocar alguém sob o completo domínio de outra). No entanto, quando Harry foi colocado sob a Imperius, ele acreditava que sua maldição pode não ter sido muito forte, assim a sensação de lançar um mais poderoso Maldição Imperius pode ser mais intensa do que o conhecido.

Um ser adequadamente colocado sob Imperius é colocado sob o controle total do lançador e pode ser direcionado para fazer qualquer coisa que o este queira, incluindo crimes como assassinato, corrupção política, abuso de confiança, e até mesmo suicídio (como exposto por Bartô Crouch Jr., disfarçado como Alastor Moody e ensinando as maldições imperdoáveis ​​para um grupo de estudante, usando-as em aranhas, "Eu poderia fazê-la saltar pela janela, se afogar, se enfiar pela garganta de vocês abaixo...").[5] Além disso, enquanto sob controle do lançador, a maldição pode igualmente dotar a vítima com quaisquer habilidades que sejam necessárias para concluir a tarefa em mãos, tais como aumento da força ou o que lhes permite lançar feitiços muito acima de seu nível. Por exemplo, um Neville Longbottom sob efeito da Impeius era capaz de realizar uma série de "uma série de acrobacias surpreendentes, que ele certamente não teria conseguido em condições normais".[5]

Bogrod.jpg

Bogrod (a frente) depois de ter sido amaldiçoado por Harry Potter.

É possível que alguém que tenha sido colocado sob a Imperius possa colocar os outros sob a maldição também. Por exemplo, Madame Rosmerta, que tinha sido colocada sob a Imperius por Draco Malfoy em algum momento durante o ano letivo de 1996-1997, foi capaz de colocar Cátia Bell sob a Maldição Imperius em uma tentativa de entregar um colar amaldiçoado para Alvo Dumbledore. É também possível que o Comensal da Morte Yaxley fez Pio Thicknesse, então sob controle da Imperius, colocar outros membros do alto escalão do Ministério da Magia sob a maldição, a fim de facilitar a derrubada de Rufo Scrimgeour.

Quando aquele que lançou a maldição Imperius morre, a pessoa amaldiçoada é libertada, como aconteceu após a derrota final de Voldemort e dos Comensais da Morte na Batalha de Hogwarts, quando todas as pessoas, que tinham estado sob poder Imperius lançada por ele ou pelos seus apoiantes foram libertados.

Embora seja possível usar a maldição sobre Fiéis do Segredos para controlá-los, é impossível usá-lo para torná-los falar o segredo, como deve ser feito de livre arbítrio.[1]

Perigos Editar

Se a Maldição Imperius tem algum problema, a vítima teria sua mente avariada, sendo um exemplo o trouxa Herbert Chorley. Parece que o dano é de longa duração, como Chorley foi enviado para o Hospital St. Mungus para Doenças e Acidentes Mágicos para se recuperar e passou o resto de sua vida acreditando que ele era um pato. Isto é provavelmente devido ao fato da poderosa magia negra deixar danos biológicos irreversíveis, como quando George teve seu ouvido amaldiçoado de forma permanente.

Resistência Editar

"A Maldição Imperius pode ser neutralizada, e vou-lhes mostrar como, mas é preciso força de caráter real e nem todos a possuem. Por isso é melhor evitar ser amaldiçoado com ela se puderem."
—Crouch Jr. (disfarçado como Moody) em uma aula de D.C.A.T. no quarto ano[fnt]

Resistir à Maldição Imperius é possível, mas requer muita força de vontade e fibra moral. O fato de que ela pode ser resistida a torna única entre as Maldições Imperdoáveis, pois é a única maldição que tem uma forma de defesa. Harry Potter, Bartô Crouch Sr. e Bartô Crouch Jr. aprenderam todos a resistir à maldição após terem sido submetidos à seus efeitos, embora os dois últimos tomasssem muito tempo antes de construir a referida resistência, e no caso de Bartô Sr., a resistência contra a poderosa maldição de Voldemort, aparentemente, causou danos mentais. Resistir à Maldição Imperius é semelhante a Oclumência, que requer uma grande quantidade de força de vontade, porém não se sabe se Oclumência seria realmente trabalhar contra a maldição.

Por trás das cenas Editar

  • A Maldição Imperius, presumivelmente, provoca uma paralisia induzida magicamente parcial do neocórtex e do córtex pré-frontal, as partes do cérebro que controlam o pensamento consciente/lógica e tomada de decisões, respectivamente, que por sua vez iria reduzir a capacidade da vítima para o pensamento independente e torná-los mais receptivos a influência externa. Isso explicaria por força da mente é tão vital para resistir a maldição, uma vez que o ato de forçar-se a perceber suas ações não é de facto pela sua própria fazendo quando o cérebro dizer o contrário seria nada fácil.
  • Na adaptação para o cinema de Harry Potter e o Cálice de Fogo
    • A Maldição Imperius parece dar os olhos da vítima um tom leitoso e uma aparência vidrada que não é mencionada nos livros e que diminuiria a eficácia da maldição, uma vez que seria facilmente detectável. No entanto, é possível que este seja um sinal de uma maldição mal ou rapidamente executada, ou então o caso de a vítima estar resistindo.
  • Das três Maldições Imperdoáveis, a Maldição Imperius é a menos usada por Voldemort (ele usa quase que exclusivamente a Maldição da Morte e tortura dezenas com a Maldição Cruciatus). Embora centenas de pessoas sejam descritas como tendo voltado a si mesmos depois da morte de Voldemort, é improvável que ele, pessoalmente, lançou-a em todos eles. Ele é registrado como tendo apenas utilizado duas vezes, em Bartô Crouch Sr e em Harry Potter.

Aparições Editar

Wiki.png
A Harry Potter Wiki tem 1 imagem relacionadas a Maldição Imperius.

Notas e referências Editar

Defesa Contra as Artes das Trevas
Professores: Galatea Merrythought | Quirino Quirrel | Gilderoy Lockhart | Remo Lupin | Bartolomeu Crouch Jr. (disfarçado como Alastor Moody| Dolores Umbridge | Severo Snape | Amico Carrow (como professor de Artes das Trevas
Livros didáticos: As Forças das Trevas: um guia para sua proteção | Como dominar um espírito agourento | Como se divertir com vampiros | Férias com bruxas malvadas | Viagens com Trasgos | Excursões com Vampiros | Passeios com Lobisomens | Um ano com o Iéti | Teoria da Defesa em Magia

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória