Fandom

Harry Potter Wiki

Ministério da Magia Britânico

2 045 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

O Ministério da Magia (MoM) é o principal órgão de governo da comunidade mágica da Grã-Bretanha (ou seja, Inglaterra, Escócia e País de Gales) e Irlanda com a intenção de preservação da lei mágica. O Ministério conecta ao governo britânico para o mundo bruxo. A sede do Ministério esta em Whitehall, no centro de Londres, no subterrâneo profundo [1]. Ele é chefiada pelo Ministro da Magia. A atual ministra da Grã-Bretanha é Hermione Granger.

O mesmo ministério também governo os bruxos da República da Irlanda.

Outros países, comoNoruega , Alemanha, Bulgária]], etc. têm os seus próprios Ministérios da Magia. [2]

HistóriaEditar

Selo do Ministério da Magia.jpg

Selo do Ministério da Magia Britânico.

O Ministério da Magia foi formalmente estabelecido em 1707 com a nomeação do primeiro homem a receber o título de "Ministro da Magia", Ulick Gamp. O Ministro da Magia é democraticamente eleito, embora tenha havido tempos de crises nos quais o posto tenha simplesmente sido oferecido a indivíduos sem o voto popular. Não existe um limite fixo para o tempo de mandado de um Ministro, mas ele ou ela são obrigados a realizar eleições num máximo intervalo de 7 anos. Ministros da Magia tendem a durar muito mais do que Ministros trouxas. Genericamente falando, e apesar dos muitos lamentos e resmungos, a comunidade deles está atrás deles de um modo que é raramente visto no mundo trouxa. Isto é, talvez, devido ao sentimento, da parte dos bruxos, de que a menos que eles sejam vistos para administrar eles mesmos competentemente, os trouxas podem tentar interferir.

Primeiros anos Editar

O Ministério da Magia sucedeu ao anterior Conselho dos Bruxos. Foi fundado em 1707 . Em 1717, o Ministério classificou as maldições Imperius, Cruciatus, e Avada Kedavra como Maldições Imperdoáveis, com a mais estrita das sanções ligadas à sua utilização. [3] Na década de 1990, a sua utilização levaria a uma sentença de prisão perpétua em Azkaban.

Quando a Guerra da Independência começou em [1775]], o Ministério da Magia teve que decidir se eles iriam ou não intervir e ajudar os seus vizinhos trouxas. Em 1777, a então presidente do Congresso Mágico dos Estados Unidos da América, Elizabeth McGilliguddy investigou o o que eles tinham decidido fazer.

Pouco antes da aposentadoria de Millicent Bagnold em 1990, grande parte da população bruxa queria que Alvo Dumbledore se torna-se ministro. [1]Foi-lhe oferecido o cargo quatro vezes, [4] mas recusou, por causa das suas anteriores experiências negativas com poder.

O Primeiro Ministro trouxa não fez parte daqueles que nomearam o Ministro da Magia, cuja eleição é um problema apenas da comunidade bruxa. Todos os assuntos relacionados à comunidade bruxa na Grã-Betanha são administrados unicamente pelo Ministro da Magia, e ele tem competência exclusiva sobre o seu Ministério. Visitas emergenciais para o Primeiro Ministro trouxa pelo Ministro da Magia são anunciadas através de um retrato de Ulick Gamp (o primeiro Ministro da Magia) que está pendurado no gabinete do Primeiro Ministro trouxa, no número 10, Downing street.  Antes de 1707, do Conselho dos Bruxos foi o corpo de serviço mais longo (embora não o único) de governar a comunidade mágica na Grã-Bretanha. Após a instituição do Estatuto Internacional de Sigilo em Magia de 1692, no entanto, a comunidade bruxa precisava de uma estrutura de governo mais altamente estruturada, organizada e mais complexa do que eles tinham usado até então, para apoiar, regular e se comunicar com a comunidade na clandestinidade. Somente bruxos e bruxas que apreciaram o título de "Ministro da Magia" estão incluídas nessa entrada.

Sob Cornélio Fudge Editar

Cornelius Fudge.jpg

Cornélio Fudge

Cornélio Fudge foi Ministro da Magia durante os eventos que cercam segundo aumento do poder de Lord voldemort. Ele se tornou Ministro da Magia, em 1990 [5] e permaneceu como ministro até ser demitido em 1996. No início de sua administração, ele pediu ajuda frequente de bruxos, como Albus Dumbledore, mas, mais tarde, tornou-se suspeito de Dumbledore e acreditava que este estava tentando usurpar sua posição.

1992-1995 Editar

No verão de 1992, a Seção de Controle do Uso Indevido da Magia enviou a Harry Potter uma carta de reprimenda após a família Malfoy, Dobby, realizar magia em uma tentativa de mantê-lo longe de Hogwarts. No início de 1993, Fudge foi para Hogwarts para enviar Hagrid para Azkaban por suspeita de abrir a Câmara Secreta, uma acusação que levou à sua expulsão de Hogwarts 50 anos antes. Hagrid foi libertado em junho.

Procura-se.jpg

Cartaz de procurado de Sirius Black.

O assassino condenado Sirius Black escapou de Azkaban no Verão de 1993, levando a uma caçada humana Ministério. Severo Snape capturou Black e virou-o para Fudge em Junho de 1994, mas Harry Potter e Hermione Granger ajudou a escapar e fez o Ministério parecer uma "piada". [6]

Organizar o Torneio Tribruxo no ano letivo 1994-1995 envolveu esforços substanciais do Departamento de Cooperação Internacional em Magia, do Departamento de Jogos e Esportes Mágicos, e outras partes do Ministério. O Torneio terminou com a morte de Cedrico Diggory e o Retorno de Lord Voldemort a 24 de junho de 1995. Fudge se recusou a acreditar nas histórias de Dumbledore e Harry Potter sobre este evento, levando Dumbledore a reativar a Ordem da Fênix para combater Voldemort. Por causa da recusa do Fudge para ver a verdade a comunidade bruxa foi colocada em desvantagem quando lidando com a ameaça eminente de Lord Voldemort e seus seguidores.

1995-1996 Editar

Profeta Diário O Garoto Que Mente.jpg

O Profeta Diário durante a Campanha para desacreditar Alvo Dumbledore e Harry Potter.

Após o retorno de Voldemort, o Ministério fez uma campanha para desacreditar Alvo Dumbledore e Harry Potter, como Fudge, com a mente "torta, cheia de medo", se recusou a acreditar nessa possibilidade terrível. Esta tendência de tentar minimizar os danos imediatos incluíram tentativas do ministério para expulsar Harry da comunidade bruxa, retirando privilégios de Dumbledore e de quem aceitasse a sua afirmação de que Voldemort havia retornado, e incentivando o Profeta Diário a publicar histórias denegrindo Dumbledore e Harry. Em 12 de agosto, Harry foi convocado para uma audiência disciplinar no Ministério, referente ao que o Ministério denominou "crimes cometidos sob o Decreto de Restrição à Prática de Magia por Menores e o Estatuto Internacional de Sigilo em Magia". A audiência foi mudada para um processo no tribunal pleno, o que era pouco ortodoxa e foi fora do contexto da lei, em uma tentativa de desacreditar ainda mais Harry. [7]

D.J. Umbridge.jpg

Dolores Umbridge, professora de DCAT, Alta Inquisidora e Diretora de Hogwarts.

As atividades do ministério acabaram por incluir a ocultação a razão da fuga em massa de Azkaban, como o Ministério não podia explicar ou justificar, a deserção dos Dementadores. Lord Voldemort e seus Comensais da Morte tentaram recuperar uma profecia específica pertencente a Harry Potter e Lord Voldemort do Salão das Profecias no nível nove, o Departamento de Mistérios. A fim de fazer isso, eles colocaram tanto Broderico Bode [8] e Estúrgio Podmore [9] sob a Maldição Imperius, sem sucesso, uma vez que apenas Harry poderia retira-la de sua prateleira.

Profeta Diário Bellatrix Lestrange.jpg

O Profeta Diário noticiando a fuga em massa de Azkaban de 1996.

Artigo principal: Batalha do Departamento de Mistérios

Pouco depois da meia-noite de 18 de Junho de 1996, os Comensais da Morte, liderados por Lúcio Malfoy, conseguiram atrair Harry e e cinco outros membros da Armada de Dumbledore para o ministério deserto. Os membros da AD conseguiram segurar os Comensais da Morte até que a ajuda chegou. A Ordem da Fênix foi resgatá-los, e o impasse na Câmara da Morte se seguiu, o que resultou na morte de Sirius Black nas mãos de sua prima Belatriz Lestrange. O impasse também incluiu um duelo entre Voldemort e Dumbledore no Átrio do Ministério [10]. Após a batalha, Fudge e várias outras testemunhas pessoalmente viram Voldemort com seus próprios olhos, e esta posição de negação tornou-se insustentável. Assim, o Ministério foi forçado a reconhecer o retorno do Lorde das Trevas e Fudge foi rudemente substituído por Rufo Scrimgeour, embora ele fosse autorizado a ajudar como uma "capacidade consultiva". [11]

Profeta Diário retorno de Voldemort.jpg

Profeta Diário confirma a volta de Lord Voldemort.

Sob Rufo Scrimgeour Editar

"O Ministério talvez devesse encarregar alguém disso, em vez de perder tempo desmontando desiluminadores ou abafando fugas em massa de Azkaban. Então, é isso que o senhor está fazendo, ministro, se trancando em seu gabinete para tentar abrir um pomo? As pessoas estão morrendo, eu quase fui uma delas, Voldemort atravessou três condados me perseguindo, matou Olho-Tonto, mas o Ministério não disse uma palavra sobre a perda, disse? E ainda espera que cooperemos com o senhor!"
—A posição de Harry Potter sobre a forma como o Ministério estava funcionando[fnt]
Rufus Scrimgeour.jpg

Rufo Scrimgeour, ex-chefe dos aurores e então Ministro da Magia.

Em resposta à situação de guerra que o país estava enfrentando, Rufo Scrimgeour, o chefe do Quartel-General dos Aurores, foi nomeado sucessor de Fudge no verão de 1996, e foi responsável pela criação de vários novos burocracia, como a Seção para Detecção e Confisco de Feitiços Defensivos e Objetos de Proteção Forjados. [12]

Cartaz do Ministério sobre os Comensais da Morte durante o governo Scrimgeour.jpeg

Típico cartaz do Ministério alertando sobre os perigos que os Comensais da Morte representam.

Apesar disso, infelizmente, Scrimgeour não se saiu muito melhor do que Fudge. Novamente reagindo à opinião pública, Scrimgeour tentou desesperadamente fazer o Ministério parecer que estava fazendo progressos, apesar de, na realidade, ser o contrário, por exemplo, por prender injustamente Stanislau Shunpike. Sob o regime de Scrimgeour o progresso real não estava sendo feito. Ele estava muito preocupado com a aparência de falsa segurança, algo que acabaria por levar à sua queda e a Queda do Ministério da Magia.

Harry teve duas reuniões com Scrimgeour, em que a cooperação de Harry Potter com o Ministério foi solicitada pelo seu valor de propaganda: o Ministério queria Harry ser o "garoto-propaganda" para o Ministério de modo a dar a esperança público, dizendo -lhes que o Ministério continuava a ser uma fonte de segurança, força, e que "o Escolhido" endossava as investigações do Ministério. Harry deixou perfeitamente claro que ele não aprovava o que o Ministério estava fazendo e deu a sua opinião a Scrimgeour. Isso levou o Ministro da Magia a acreditar que Harry era arrogante e os dois se separaram em condições ruins. Os dois permaneceram em condições ruins durante a leitura do testamento de Dumbledore e ele veio a um argumento em que Scrimgeour perdeu o controle de seu temperamento e Harry afirmou que ele nunca iria cooperar com o Ministério se continuasse a se comportando como eles estavam fazendo.

Discurso de Scrimgeour.gif

Discurso de Scrimgeour sobre os tempos sombrios.

No Verão de 1997, pouco depois do assassinato de Albus Dumbledore, o Átrio no Ministério foi o cenário para um discurso de Scrimgeour sobre os "tempos sombrios", em que o mundo mágico estava vivendo, e como o Ministério mantinha-se "forte" e ativo em a luta contra as forças das trevas. [13] Enquanto isso, os Comensais da Morte estavam conseguindo se infiltrar no Ministério de controlar magicamente alguns dos seus executivos de nível superior. [14] Como resultado, mais tarde naquele verão, na noite de 1 de Agosto de 1997, o Ministério foi palco de um golpe secreto, durante o qual Scrimgeour foi assassinado [15] enquanto se recusou a dar aos Comensais da Morte qualquer informação sobre Harry Potter. [16]

Sob Pius Thicknesse Editar

Thicknesse regime.png

Quatro figuras consequentes do novo regime (da esquerda para a direita): Albert Runcorn, Oficial do Ministério;Dolores Umbridge, Subsecretária Sênior do Ministro e Chefe da Comissão de Registro dos Nascidos-Trouxas; Pio Thicknesse, Ministro da Magia; e Yaxley, chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia.

Após o golpe dos Comensais da Morte, o Ministério da Magia foi chefiado por Pius Thicknesse, que estava sob o controle dos Comensais da Morte, por meio da Maldição Imperius; Voldemort escolheu não revelar-se abertamente como o ministro, a fim de manter uma atmosfera de medo e incerteza dentro da comunidade. Muito mais segurança foi adicionada ao edifício. O Ministério tornou-se muito mais corrupto durante o mandato de Thicknesse.

MudbloodsPampletPottermore.png

Sangues-ruins e os Perigos que Oferecem a uma Sociedade Pacífica de Sangues Puros.

Sob o controle de Thicknesse, o Ministério tornou-se totalitarista, colocando sob vigilância aqueles dos quais tinha suspeitas, tais como Arthur Weasley, e criando a Comissão de Registro dos Nascidos-Trouxas para processar nascidos trouxas por supostamente roubar magia. Julgamentos injustos foram realizadas, a fim de eliminar os nascidos trouxas e para dar a impressão de Justiça. O Ministério também adquiriu o lema "Magia é Poder", que foi inscrito em cima de uma escultura com uma bruxa e um bruxo sentados em tronos feitos de trouxas. [17] Comensais da Morte, como Corban Yaxley, ganharam altos cargos dentro do Ministério, também.

Sequestradores e caçadores de recompensas também foram empregados pelo Ministério. Sequestradores parecia ser uma organização relativamente informal com o objetivo principal de prender nascidos trouxas e "traidores do sangue". Se tiverem sucesso na captura de seus alvos, estes ou seriam mortos ou enviados para Azkaban.

Após a Batalha de Hogwarts Editar

Kingsley Shacklebolt.jpg

Kingsley Shacklebolt

Em 1998, depois da destruição de Voldemort e o fim da Segunda Guerra Bruxa, Kingsley Shacklebolt se tornou Ministro da Magia e conduziu uma reforma maciça do Ministério, em um esforço para extirpar a corrupção e preconceito. Kingsley reabasteceu o Quartel-General dos Aurorese viu que os Comensais da Morte que escaparam seriam capturados e julgados por seus crimes contra a comunidade bruxa. A revitalização e reforma incluiu os esforços de Harry Potter e Ronald Weasley no Seção dos Aurores, e Hermione Granger promovendo os direitos de não-humanos e erradicar as leis pró-puro-sangue no Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas e no Departamento de Execução das Leis da Magia. o Ministério é agora um lugar muito mais feliz para trabalhar, graças às reformas.

Estrutura de governo Editar

Funcionários do ministério são, em grande parte, não eleitos, mas o Ministro da Magia é eleito por um grupo desconhecido. [1] Emprego no Ministério pode ser obtido diretamente após a conclusão de uma educação bruxa, [18] embora escritórios diferentes exijam diferentes níveis de ensino e, por vezes, resultados específicos em exames. Tanto o Ministro e o Ministério como um todo são vistos para ser sensível para a opinião pública, que eles tentam influenciar através do jornal bruxo o Profeta Diário.

O Ministério da Magia não tem nenhum direito de punir alunos de Hogwarts por causa de contravenções, nem têm privilégio de sua expulsão e confisco de varinha a menos que acusações sejam provadas e passem com sucesso. Dumbledore deixou claro para o Fudge que o Ministério tem pouca influência sobre o funcionamento detalhado dentro da escola, o que Fudge tentou mudar através de uma série de Decretos Educacionais, anexando efetivamente a escola ao governo.[7]

Ministro da Magia Editar

O Ministro da Magia é o líder eleito do Ministério. O Ministro da Magia e Serviços Auxiliares ocupam o Nível Um do Ministério. Durante o regime fantoche criado por Lord Voldemort de 1 de Agosto de 1997 - de 2 de Maio de 1998, este nível também abrigava o escritório do Chefe da Comissão de Registro dos Nascidos-trouxa.

Ele inclui estes escritórios:

Departamentos Editar

O Ministério tem sete departamentos ao todo, cada um lidando com diferentes aspectos do mundo bruxo, com o Departamento de Execução das Leis da Magia sendo o maior e todos os outros mais ou menos respondendo a ele (exceto o Departamento de Mistérios).

Departamento de Execução das Leis da Magia Editar

" Nível dois, Departamento de Execução das Leis da Magia, que inclui a Seção de Controle do Uso Indevido da Magia, o Quartel-General dos Aurores e os Serviços Administrativos da Suprema Corte dos Bruxos."
Voz do elevador sobre o Nível 2[fnt]

O Departamento de Execução das Leis da Magia É uma mistura de polícia com instalações de justiça tendo poder sobre todos os outros departamentos, a exceção do Departamento de Mistérios.

Inclui as seguintes seções:

Departamento de Acidentes e Catástrofes Mágicas Editar

"Nível três, Departamento de Acidentes e Catástrofes Mágicas, incluindo o Esquadrão de Reversão de Mágicas Acidentais, Central de Obliviação e Comissão de Justificativas Dignas de Trouxas."
Voz do elevador sobre o Nível 3[fnt]

O Departamento de Acidentes e Catástrofes Mágicas é responsável pela reparação de danos mágica acidental.

Inclui as seguintes seções:

Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas Editar

"Nível quatro, Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas, que inclui as Divisões das Feras, Seres e Espíritos, Seção de Ligação com os Duendes, Escritório de Orientação sobre Pragas."
Voz do elevador sobre o Nível 4[fnt]

O Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas é responsável por estudar, regular e controlar criaturas mágicas.

Inclui as seguintes seções:

Departamento de Cooperação Internacional em Magia Editar

"Nível cinco, Departamento de Cooperação Internacional em Magia, incorporando o Organismo de Padrões de Comércio Mágico Internacional, o Escritório Internacional de Direito em Magia e a Confederação Internacional de Bruxos, sede britânica."
Voz do elevador sobre o Nível 5[fnt]

O Departamento de Cooperação Internacional em Magia lida com assuntos externos, tanto a nível político quanto público.

Inclui as seguintes seções:

Departamento de Transportes Mágicos Editar

"Nível seis, Departamento de Transportes Mágicos, que inclui a Autoridade da Rede de Flu, o Controle de Aferição de Vassouras, a Seção de Chaves de Portais e o Centro de Testes de Aparatação."
Voz do elevador sobre o Nível 6[fnt]

O Departamento de Transportes Mágicos é responsável por vários aspectos do transporte mágico.

Inclui as seguintes seções:

Departamento de Jogos e Esportes Mágicos Editar

"Nível sete, Departamento de Jogos e Esportes Mágicos, que inclui a Sede das Ligas Britânica e Irlandesa de Quadribol, o Clube de Bexiga Oficial e a Seção de Patentes Absurdas."
Voz do elevador sobre o Nível 7[fnt]

O Departamento de Jogos e Esportes Mágicos acordos com a organização de eventos desportivos e aplicação de leis e regulamentos relacionados com o jogo.

Inclui as seguintes seções:

Departamento de Mistérios Editar

""Departamento de Mistérios", disse a voz de mulher sem pressa e sem nada acrescentar."
Voz do elevador sobre o Departamento de Mistérios[fnt]

O Departamento de Mistérios, localizado no Nível Nove, é uma seção do Ministério da Magia que realiza trabalhos de investigação confidencial sobre enigmas particulares (morte, tempo, espaço, pensamento e amor) e armazena cópias de profecias. A maioria de suas operações são realizadas em total sigilo. O Departamento contém as seguintes câmaras nas quais vários mistérios da vida são estudados:

Outros escritórios Editar

Possíveis escritórios ou afiliados Editar

Funcionários Editar

Ministros da Magia Editar

Artigo principal: Ministro da Magia

Chefes de Departamento e de Escritório Editar

Outros funcionários Editar

Relações com trouxas Editar

O Ministério mantém contato com primeiro-ministro trouxa do Reino Unido através da ajuda de um retrato no escritório deste. O retrato é fixado à parede com um Feitiço Adesivo Permanente de forma que nenhum trouxa será capaz de removê-lo, e irá notificar o primeiro-ministro de trouxa da chegada iminente do Ministro da Magia. A coroa britânica, incluindo o primeiro-ministro do Reino Unido e o Monaca, estão em pleno conhecimento do Ministério.

Cada novo primeiro-ministro recebe a visita do Ministro da Magia, que informa-o informa que o mundo bruxo existe. Ele explica que ele entrará em contato com o primeiro-ministro apenas nos casos em que os eventos do mundo bruxo podem afetar os trouxas. Por exemplo, o ministro tem de informar o primeiro-ministro se artefatos mágicos perigosos ou animais devem ser trazidos para o Reino Unido.

Críticas Editar

O governo mágico por vezes deu a impressão de ou incompetência ou malícia, que são demonstrados pelo sucesso de várias fugas de Azkaban e a Campanha para difamar Alvo Dumbledore e Harry Potter. O Ministério tem sido conhecido por ser corrupto na natureza, como é mostrado bastante preparado para decretar e executar leis draconianas sem aviso prévio, e parece desinteressado em resolver problemas graves, optando por ignorar ou encobrir uma má notícia.

Corrupção Editar

O Ministério da Magia dá uma aparência de, em vários momentos, ser incompetente ou confuso ou malícioso. O Ministério tem sido visto a decretar e executar leis severas e tirânicas sem aviso prévio. Os poucos direitos que os bruxos humanos têm é negado aos não-humanos. Mesmo as pessoas que têm sido encontrado mais tarde para ser inocentes foram submetidos aos horrores de Azkaban. Sob a direção do ministro Cornélio Fudge, os julgamentos eram curtos e não tinham júris; em vez disso, um Conselho das Leis da Magia ouvia todos os casos, independentemente do que o conhecimento prévio que tinham deste caso, era improvável que fossem capaz de apelar da sentença e os advogados não eram autorizados. É provável que as condições tenham melhorado com a nova administração. Durante o recurso de Hagrid ao processo ante a Comissão para Eliminação de Criaturas Perigosas, o carrasco (Walden Macnair) estava presente com seu machado antes de um veredicto ser decidido, e as decisões na maior parte do Comitê são influenciadas por Lúcio Malfoy , que ameaça e intimida os membros.

Após a queda do Ministério da Magia, todo o ministério estava sob controle de Voldemort e cumpria suas ordens sob o governo fantoche liderado por Pius Thicknesse. As várias leis implementadas neste regime incluíram perseguição e aos nascidos trouxas e trouxas e propaganda sugeriao a inferioridade dos trouxas e como eles deveriamm ser tratados como sub-humanos por bruxos. No entanto, após a queda de Lord Voldemort e nomeação de Kingsley Shacklebolt como ministro, Harry, Ronald e Hermione trabalharan para o Ministério e alterá-lo em maneiras de torná-lo drasticamente menos corrupto.

Notas e ReferênciasEditar

  1. 1,0 1,1 1,2 Harry Potter e a Ordem da Fênix Capítulo 7 (O Ministério da Magia)
  2. Harry Potter e o Cálice de Fogo Capítulo 5 (As Gemialidades Weasley)
  3. Os Contos de Beedle, o Bardo (real) - "Babbity, a Coelha e seu Toco Gargalhante" - Notas de rodapé
  4. Harry Potter e o Enigma do Príncipe Capítulo 20 (O Pedido de Lord Voldemort)
  5. Harry Potter e a Ordem da Fênix Capítulo 10 (Luna Lovegood)
  6. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban Capítulo 22 (Novo Correio-Coruja)
  7. 7,0 7,1 Harry Potter e a Ordem da Fênix Capítulo 8 (A Audiência)
  8. Harry Potter e a Ordem da Fênix Capítulo 26 (Visto e Imprevisto)
  9. Harry Potter e a Ordem da Fênix Capítulo 14 (Percy e Almofadinhas)
  10. Harry Potter e a Ordem da Fênix Capítulo 35 (Para Além do Véu)
  11. Harry Potter e o Enigma do Príncipe Capítulo 1 (O Outro Ministro)
  12. Harry Potter e o Enigma do Príncipe Capítulo 5 (Fleuma Demais)
  13. Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1
  14. Harry Potter e as Relíquias da Morte Capítulo 1 (A Ascensão do Lorde das Trevas)
  15. Harry Potter e as Relíquias da Morte Capítulo 8 (O Casamento)
  16. Harry Potter e as Relíquias da Morte Capítulo 11 (O Suborno)
  17. Harry Potter e as Relíquias da Morte Capítulo 13 (A Comissão de Registro dos Nascidos Trouxas)
  18. Harry Potter e o Cálice de Fogo

Ver também Editar

Predefinição:Departamentos do Ministério da Magia

Predefinição:Funcionários do Ministério da Magia

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória