FANDOM


Falando ofidioglossia

Harry Potter conversando com uma jiboia-constritora.

Ofidioglossia é a capacidade natural de falar língua de cobra, o idioma de serpentes (bem como outras criaturas similares a serpentes mágicas, como o farosutil). Aqueles dotados dessa habilidade são denominados ofidioglotas. É uma habilidade muito rara e normalmente hereditária. Quase todos os ofidioglotas conhecidos são descendentes de Salazar Sonserina, com Harry Potter sendo uma notável exceção, mesmo que ele tenha adquirido a habilidade através de Lord Voldemort, um descendente de Sonserina.

Características Editar

A língua das cobras é falada num som sibilante, semelhante ao de uma serpente; como tal, as pessoas normais não podem entendê-la (uma exceção conhecida é Alvo Dumbledore). Além da simples comunicação, ofidioglotas parecem ser também capazes de influenciar a vontade das serpentes em certa medida. Além de criaturas serpentinas, ofidioglotas podem também se comunicar uns com os outros na língua; por exemplo, Harry entendeu os comandos de Tom Riddle para o Basilisco de Salazar Sonserina, e os membros da Família Gaunt comunicavam-se entre si quase exclusivamente em língua de cobra. Falantes de língua de cobra são capazes de controlar objetos em forma de cobra (por exemplo, uma escultura); falantes mais proficientes podem ser capazes de falar à vontade, como a família Gaunt, que era muito proficiente na língua - o suficiente para que Morfino pudesse falar com Bob Ogden.

Reputação Editar

A capacidade de falar a língua das cobras - e não apenas imitá-la, como Ronald Weasley fez - é considerada um atributo de um bruxo das trevas. Esta fama deve-se ao fato de tanto Salazar Sonserina quanto Lord Voldemort possuírem tal capacidade. Outro bruxo das trevas notável que também era um ofidioglota foi Herpo o Sujo. No entanto, como Alvo Dumbledore apontou, há ofidioglotas entre os bons. Paracelso, um notável alquimista e um "gênio da medicina", é creditado com a descoberta da língua de ofidioglossia no século XVI, apesar da existência de falantes como Herpo, o Sujo ou Salazar Sonserina nas eras clássica e medieval.

Um membro desconhecido da Liga de Defesa contra as Artes das Trevas, quando perguntado sobre o assunto por Rita Skeeter, afirmou o seguinte: "Pessoalmente, eu encararia com muita suspeita qualquer pessoa que conversasse com cobras, pois esses animais em geral são usados nos piores tipos de magia negra e historicamente, são associados com bruxos malignos!".

Harry Potter como um ofidioglota Editar

Lord Voldemort passou a habilidade de falar e entender ofidioglossia para Harry Potter, inadvertidamente, quando ele o atacou na infância em 1981, o que acabou criando no menino uma Horcrux, também sem seu conhecimento.[1] A primeira vez que Harry conversou com cobras foi aos seus dez anos, quando foi ao zoológico com os Dursleys. Ele se comunicou com uma jiboia-constritora enquanto estava na área dos répteis. Inadvertidamente, ele fez com que o vidro do tanque da cobra desaparecesse, permitindo que ela escapasse.[2]

Harry não estava consciente de sua capacidade de falar ofidioglossia até 1992, quando ele enfrentou Draco Malfoy no Clube de Duelos e foi capaz de se comunicar com a cobra que Draco conjurou para atacá-lo, dizendo-a para não atacar Justino Finch-Fletchley. Isso causou histeria entre seus colegas porque uma escritura nas paredes do Castelo de Hogwarts previa que o Herdeiro da Sonserina abriria a Câmara Secreta, desencadeando um monstro que atacaria os alunos nascidos trouxas na escola. O herdeiro da Sonserina era, na verdade, Voldemort, mas Harry conseguiu entrar na Câmara falando a senha em língua de cobra e, posteriormente, matou o basilisco milenar. Pouco depois desse incidente, Harry descobriu como ele adquiriu a habilidade.[3]

Quando o mundo dos bruxos descobriu a habilidade de Harry em falar a língua das cobras, cortesia de Rita Skeeter, as pessoas começaram a duvidar de suas palavras, pois Cornélio Fudge se recusou a acreditar na alegação de Harry sobre o renascimento de Voldemort, em parte devido à sua capacidade de falar a língua.[4]

Ofidioglotas conhecidos Editar

Possíveis ofidioglotas Editar

Outros Editar

Pessoas que não eram ofidioglotas, mas foram capazes de falar ou entender ofidioglossia através de vários meios.

Aparições Editar

Notas e referências Editar

  1. 1,0 1,1 1,2 Harry Potter e as Relíquias da Morte
  2. Harry Potter e a Pedra Filosofal
  3. 3,0 3,1 Harry Potter e a Câmara Secreta
  4. Harry Potter e o Cálice de Fogo
  5. 5,0 5,1 Escrito por JK Rowling: "Escola de Magia e Bruxaria de Ilvermorny" no Pottermore
  6. Harry Potter e a Criança Amaldiçoada