FANDOM


A Ordem da Fênix foi uma sociedade secreta fundada por Alvo Dumbledore para se opôr e lutar contra Lord Voldemort e seus Comensais da Morte. A Primeira formação da Ordem da Fênix foi feita na década de 1970. Foi recrutada após Voldemort retornar para a inglaterra e começar uma campanha para assumir o controle do Ministério da Magia, perseguir e matar Nascidos-trouxas. A Ordem trabalhou junto com o Ministério para se opôr a Voldemort e seus seguidores, e desempenhou uma função crucial na Primeira Guerra Bruxa. A "Vitória" veio em 1981, quando voldemort perdeu as suas forças após o feitiço da morte ricochetear quando este tentou matar Harry Potter, o feitiço ricocheteou pois a sua mãe sem saber fez um Sacrifício de Proteção. A Derrota de Voldemort veio com um custo muito alto, alguns de seus membros morreram ou enlouqueceram.

A Ordem foi desfeita, mas foi reconvocada em 1995, após Harry Potter alertar Dumbledore sobre o retorno de Voldemort. O Ministério se recusou a admitir a volta do Lorde das Trevas, pois Cornélio Fudge ficou paranóico e achava que Dumbledore queria roubar o seu cargo como Ministro da Magia, apesar disso a Ordem trabalhou sozinha para proteger Harry Potter e a profecia a respeito dele e de Lord Voldemort no Departamento de Mistérios. Após um intensa batalha ocorrida dentro do ministério em 18 de Junho de 1996 entre a Ordem, a Armada de Dumbledore, e os Comensais da Morte, o ministério finalmente admitiu o retorno de Voldemort.

No ano seguinte, a Ordem perderia seu líder e o Ministério seria conquistado por Voldemort. A Ordem permaneceu uma resistência subterrânea, tentando proteger os trouxas e transmitir a verdade durante os piores dias da Segunda Guerra Bruxa. Eles responderam ao chamado às armas pela Armada de Dumbledore em 2 de maio de 1998, lutando contra Voldemort e seus Comensais da Morte pela última vez na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. A Batalha de Hogwarts terminou com a morte de Voldemort nas mãos de Harry Potter e uma vitória decisiva para a Ordem e seus aliados.

História Editar

Fundação e Primeira Guerra Bruxa Editar

Origem Editar

Sirius Black: "Que é que você tinha a ganhar lutando contra o bruxo mais maligno que já existiu? Apenas vidas inocentes, Pedro!"
Pedro Pettigrew: "Você não entende! Ele teria me matado, Sirius!"
Sirius Black: "ENTÃO VOCÊ DEVIA TER MORRIDO! MORRER EM VEZ DE TRAIR SEUS AMIGOS, COMO TERÍAMOS FEITO POR VOCÊ!"
Sirius Black confrontando Pedro Pettigrew sobre a traição do último[fnt]
Ordem (OdF)

Uma fotografia da Ordem original, incluindo: Alvo Dumbledore, Edgar Bones, Remo Lupin, Lílian Evans, Pedro Pettigrew, Tiago Potter e Sirius Black

A Ordem da Fênix foi fundada por Alvo Dumbledore durante a primeira ascensão ao poder de Lord Voldemort nos anos 70. Dumbledore formou a Ordem para combater a crescente ameaça e poder de Voldemort. Aurores do Ministério da Magia também se juntaram à Ordem para participar de ataques mais secretos e súbitos com o objetivo de esmagar a Rebelião das Trevas. Dumbledore criou um método de comunicação entre os membros da Ordem, inventando uma maneira de fazer os Patronos falarem.

Embora os Comensais da Morte estivessem atacando principalmente trouxas e nascidos trouxas para espalhar o terror, eles logo se voltaram para atacar os "traidores do sangue", como os membros da Ordem também. A Ordem teve que trabalhar duro, já que eles estavam em desvantagem na proporção de 20: 1 pelos Comensais da Morte. e Fábio e Gideão Prewett foram assassinados por um grupo de cinco Comensais da Morte liderados por Antonin Dolohov . Caradoc Dearborn desapareceu, a família Bones foi quase completamente destruída, Benjy Fenwick foi brutalmente assassinado e Marlene McKinnon e sua família foram assassinados por Comensais da Morte, incluindo Travers. Mesmo quando a Ordem sofreu grandes perdas, eles continuaram a lutar, e quatro de seus membros - Tiago Potter, Lílian Potter, Alice e Franco Longbottom - desafiaram o próprio Voldemort três vezes.[1]

A profecia Editar

"Aquele com o poder de vencer o Lorde das Trevas se aproxima… nascido dos que o desafiaram três vezes, nascido ao terminar do sétimo mês… e o Lorde das Trevas o marcará como seu igual, mas ele terá um poder que o Lorde das Trevas desconhece… e um dos dois deverá morrer na mão do outro, pois nenhum poderá viver enquanto o outro sobreviver... aquele com o poder de vencer o Lorde das Trevas nascerá quando o sétimo mês terminar..."
Sibila Trelawney[fnt]
Esse desafio fez com que os dois casais e seus filhos, Harry Potter e Neville Longbottom, fossem alvos de uma profecia sobre uma criança com o poder de derrotar o Lorde das Trevas. Comensal da Morte Severo Snape ouviu parte da profecia e relatou a Voldemort, que acreditava que se referia a Harry Potter. Ele decidiu caçar os Potter, escolhendo o mestiço Harry, como o próprio Voldemort, em oposição ao puro sangue, Neville. Os Potters, que estavam escondidos sob o Feitiço Fidelius, fizeram Snape mudar de lado desde que ele sempre estivera apaixonado por Lílian Potter e sentiu a necessidade de dar algo a ela em troca da amizade que os dois haviam compartilhado anos antes.[2]
Assassinato da Família Potter

Casa da família Potter sendo atacada, Lílian Potter é assassinada por Lord Voldemort enquanto protegia um Harry Potter bebê

Não foi o suficiente para salvá-los, no entanto; Dumbledore se ofereceu para ser o Fiel do Segredo dos Potter na suspeita de que um membro da Ordem que era um amigo muito próximo da família se tornou espião dos Comensais da Morte. Tiago, no entanto, insistiu que o padrinho de Harry, Sirius Black, era um candidato melhor para o papel, mas Black tinha um plano diferente; ele secretamente sugeriu a Tiago e Lílian para usá-lo como um chamariz, enquanto outro membro da Ordem entre seus amigos mais próximos, Pedro Pettigrew, assumiu a posição de Fiel do Segredo.

Desde que ele era o espião do Comensal da Morte que Dumbledore suspeitava, Pettigrew traiu os Potter uma semana após o feitiço Fidelius ser executado, e Voldemort veio para sua casa em Godric's Hollow em 31 de outubro de 1981. Ele sumariamente matou Tiago, mas ofereceu a Lílian uma chance ao vivo, conforme solicitado por Severo Snape. Ela rejeitou a oferta, implorando pela vida do filho, e Voldemort usou a Maldição da Morte contra ela e depois para Harry. Porque a Lílian se sacrificou por amor ao filho, Harry foi protegido do feitiço, e a maldição saiu pela culatra. Porque Voldemort fez Horcruxes, ele não morreu, mas ele perdeu sua própria forma física. Ele também inadvertidamente fez do próprio Harry uma Horcrux, enquanto um pedaço de sua alma se encaixava em uma cicatriz na testa de Harry.[3]

Dissolução Editar

"Os Longbottom eram um casal muito querido. Os ataques a eles começaram depois da queda de Voldemort, quando todos pensavam que estavam a salvo. Os ataques causaram uma onda de fúria nunca vista. O Ministério ficou sob grande pressão para capturar quem tinha feito aquilo. Infelizmente, o depoimento dos Longbottom não foi, dada a condição em que estavam, nada confiável."
—O ataque que causou a insanidade dos Longbottom[fnt]
Julgamento dos Lestrange e de Crouch Jr

Comensais da Morte em julgamento pela captura e tortura de Franco e Alice Longbottom

A Primeira Guerra Bruxa terminou com uma vitória da Ordem e do Ministério, mas os Comensais da Morte ainda eram um perigo. Black tentou prender Pettigrew em uma rua de Londres depois que o último fugiu da cena em Godric's Hollow com a varinha de seu mestre, mas Pettigrew fingiu sua própria morte matando muitos trouxas inocentes e cortando seu próprio dedo, depois escapou em sua forma animaga (um rato) para esconder com a família Weasley sob o nome "Perebas". Como resultado, Black foi permanentemente transformado em bode expiatório pelos crimes de seu amigo e jogado em Azkaban sem julgamento.[4]

Outros Comensais da Morte, como Travers, Múlciber e três que ajudaram nos assassinatos de Bones, também foram capturados e aprisionados. Quatro deles - os irmãos Lestrange; Rabastan e Rodolfo, a esposa de Rodolfo,Bellatrix, e Barty Crouch Jr - atacaram os Longbottoms logo após a derrota de seu mestre. Buscando informações sobre a queda de seu mestre, os Comensais da Morte deixaram Alice e Frank loucos com a Maldição Cruciatus. Os Comensais da Morte e muitos de seus companheiros foram capturados e sentenciados a Azkaban, alguns deles entregues por Igor Karkaroff, que foi libertado em troca de informações. Outros, como Lúcio Malfoy, conseguiram evitar a prisão afirmando que só serviram a Voldemort sob a Maldição Imperius, embora os membros da Ordem estivessem céticos em relação a tais alegações.[5]

CartadeDumbledoreparaP.Dursley

Alvo Dumbledore deixa o bebê Harry Carta na porta da Rua dos Alfeneiros, nº4

Alvo Dumbledore e Severo Snape, que haviam se tornado espião para a Ordem "com grande risco pessoal" antes da queda de Voldemort, suspeitavam que Voldemort retornaria e determinaram que Harry Potter tinha que ser protegido, tendo membros da Ordem como Minerva McGonagall, Arabella Figg e Dédalo Diggle mantêm um olhar discreto sobre ele durante toda a sua infância.[2] No entanto, a guerra acabou e a Ordem foi dissolvida. Os membros eram, em sua maior parte, poderosos bruxos e bruxas com muitas outras demandas em seu tempo e se a segunda encarnação da Ordem é indicativa, pode muito bem ter havido pressões e incertezas internas que, na ausência de um claro, externo ameaça, seria desaconselhável tentar manter o grupo.

Segunda Guerra Bruxa Editar

A ordem se reúne Editar

"O tempo é curto e, a não ser que os poucos de nós que conhecem a verdade se mantenham unidos, não haverá esperança para ninguém."
Alvo Dumbledore após o retorno de Lord Voldemort[fnt]
Em 24 de junho de 1995, Lord Voldemort retornou ao poder. Seu servo Bartô Crouch Jr, disfarçado de Alastor Moody, havia manipulado o Cálice de Fogo para garantir que Harry Potter se tornasse um Campeão do Torneio Tribruxo. Quando Harry e o colega campeão Cedrico Diggory tocaram a Taça Tribruxo, sem saber que ela havia sido transformada em chave de portal, eles foram transportados para um cemitério em Little Hangleton. Peter Pettigrew assassinou Cedrico e então realizou um ritual para ressuscitar Voldemort , que então convocou seus Comensais da Morte para ele. Harry conseguiu escapar e informar Alvo Dumbledore da volta do Lorde das Trevas.[5]
Guarda Avançada

A Guarda Avançada dentro da Rua dos Alfeneiros, nº4, preparando-se para colocar Harry Potter em segurança

Dentro de uma hora, os membros originais da Ordem foram informados. Dumbledore tinha Sirius Black, que ainda era procurado pelo Ministério, enviou sua forma Animaga (um cachorro) para alertar membros-chave como Arabella Figg, Mundungus Fletcher e Remus Lupin da nova ameaça sob o nome de "Snuffles". Após a sua reconstituição, a Ordem estabeleceu a sede Largo Grimmauld, nº 12 em Londres - a casa da família de Sirius. A casa foi protegida com o feitiço Fidelius , com Dumbledore como Fiel do Segredo. Membros da Ordem foram designados por Dumbledore para proteger Harry Potter e para o serviço de guarda. Harry e seus melhores amigos, Ronald Weasley e Hermione Granger também ajudaram a Ordem, apesar de serem menores de idade, eles não eram membros oficiais.[1]

Relações do ministério Editar

Cornélio Fudge: "Mas se você vai trabalhar contra mim..."
Alvo Dumbledore: "A única pessoa contra quem pretendo trabalhar é Lorde Voldemort. Se você é contra ele, então continuamos, Cornélio, do mesmo lado."
— Fudge e Dumbledore discutindo o retorno de Voldemort[fnt]
Profeta Diário Dumbledore maluco ou perigoso

Artigo do Profeta Diário questionando a sanidade de Dumbledore por alegar que Voldemort havia retornado

Embora Dumbledore e os membros originais da Ordem tenham aceitado o retorno de Lord Voldemort, membros do Ministério da Magia, incluindo o Ministro da Magia Cornélio Fudge, não estavam convencidos. Fudge preferiu acreditar que Dumbledore estava espalhando rumores em uma tentativa de minar sua autoridade como ministro. Anos antes, havia um amplo apoio para Dumbledore assumir a posição, embora ele tenha recusado, preferindo permanecer em Hogwarts. Em seus primeiros anos como Ministro, Fudge estava constantemente bombardeando Dumbledore, buscando freneticamente conselhos. Essas ações semearam as sementes da paranoia em Fudge, já que ele temia que Dumbledore usurpasse seu poder. Ele também acusou Dumbledore de "ficar senil", e declarou que ele estava claramente enganado sobre o retorno de Voldemort.[5] No entanto, alguns aurores do Ministério, como Quim Shacklebolt e Ninfadora Tonks, passaram a acreditar em Dumbledore e se juntaram à Ordem em segredo.[1]

Artigo principal: Campanha para desacreditar Alvo Dumbledore e Harry Potter

Sob a influência do Ministério, o Profeta Diário retratou Dumbledore e Harry como mentirosos ou loucos, e assim muitos membros do público bruxo também não acreditaram na volta de Voldemort. A Ordem foi forçada a existir clandestinamente e certos membros foram incapazes de se cumprimentar em público, por medo de expor suas lealdades. Voldemort e seus Comensais da Morte aproveitaram-se da loucura do Ministério, conduzindo seus negócios em segredo por um ano. Entre seus objetivos estava obter um registro da profecia sobre Voldemort e Harry, que foi mantida no Departamento de Mistérios. A Ordem manteve guarda na área, mas foi prejudicada pela falta de cooperação do Ministério.

Artigo principal: Batalha do Departamento de Mistérios
Ordem vs Comensais

Membros da Ordem batalham contra Comensais da Morte na Câmara da Morte

Voldemort finalmente conseguiu atrair Harry para lá, junto com cinco membros da Armada de Dumbledore, uma organização que Harry, Hermione e Ron fundaram em Hogwarts em resposta à funcionária do Ministério, Dolores Umbridge, recusando-se a ensinar aos alunos práticas de Defesa Contra as Artes das Trevas. O grupo de adolescentes foi emboscado por doze Comensais da Morte. A Ordem tomou conhecimento disso através de Severo Snape, e Sirius Black, Remo Lupin, Ninfadora Tonks, Alastor Moody e Quim Shacklebolt correram para o Ministério para combater os Comensais da Morte.

A Ordem conseguiu salvar os estudantes, e a profecia foi destruída, mas Sirius foi assassinado por sua prima, Belatriz Lestrange. Alvo Dumbledore ajudou a reunir os outros Comensais da Morte, convocou os Aurores e depois duelou contra Voldemort em defesa de Harry. Todos os membros da Ordem que participaram da batalha foram feridos, com exceção de Remo Lupin e Alvo Dumbledore. Além disso, todos os membros da Armada de Dumbledore ficaram feridos, exceto Harry.[1]

Vários membros do Ministério, incluindo o Ministro Fudge, entraram Átrio do Ministério no final deste duelo, vendo Voldemort por si mesmos. Voldemort desaparatação com Belatriz, mas Fudge foi forçado a admitir que Dumbledore e Harry Potter estavam certos.[1] Ele foi logo substituído por Rufo Scrimgeour como Ministro da Magia.[6]

Guardando Hogwarts Editar

"Você é por inteiro um homem de Dumbledore, não, Potter?"
Rufo Scrimgeour sobre a lealdade de Harry Potter[fnt]
Tonks resgata Harry

Membro da ordem Ninfadora Tonks atuando como guarda de Hogwarts

A batalha marcou o início oficial da Segunda Guerra Bruxa. Embora Scrimgeour fosse um ministro mais pró-ativo do que Fudge, ele provou ser suspeito da Ordem e de Dumbledore também. Ele tentou convencer Harry Potter a se aliar ao Ministério para aumentar a moral pública, mas Harry ficou enojado com os métodos arbitrários de Scrimgeour e declarou sua lealdade a Dumbledore e à Ordem. No decorrer do ano letivo, Dumbledore ensinou Harry sobre o passado de Voldemort e sobre a existência de suas Horcruxes. Essas lições extras provariam ser valiosas, já que deram a Harry informações muito necessárias sobre o passado de Voldemort.

Artigo principal: Batalha da Torre de Astronomia
Marca Negra sobre Hogwarts

A Marca Negra sobre Hogwarts durante a Batalha da Torre de Astronomia

Enquanto isso, a Ordem vigiava Hogwarts. No entanto, Draco Malfoy, que tornara-se um Comensal da Morte no lugar de seu pai encarcerado, conseguiu usar um Armário Sumidouro para levar os Comensais da Morte para a escola, e a Batalha da Torre de Astronomia se seguiu. Dumbledore foi encurralado por Malfoy, mas o diretor conseguiu convencer o garoto a baixar sua varinha, e Severus Snape entrou para matar Dumbledore. Não sabendo que esse era um plano que Dumbledore e Snape haviam concebido antes, nem da condição médica do diretor devido à uma maldição, a Ordem acreditava que eles haviam sido traídos.[6]

Queda do Ministério da Magia Editar

"Então, de repente, sem ninguém saber de onde nem como, eles se viram cercados. No mínimo uns trinta vultos encapuzados pairavam no ar, formando um vasto círculo no meio do qual entraram os membros da Ordem, sem perceber..."
—Descrição da Batalha dos Sete Potter[fnt]
Batalha dos Sete Potter no Pottermore

Os sete Potter com seus protetores, durante a Batalha dos Sete Potter

Agora sob a liderança de Alastor Moody, o próximo objetivo da Ordem era remover Harry da casa de seus parentes antes que a proteção oferecida pelo sangue de sua mãe expirasse em seu décimo sétimo aniversário. Infelizmente, algumas das soluções mais simples para a situação, como o pó de Flu ou a aparatação, estavam indisponíveis devido ao monitoramento do Ministério, que estava infiltrado pelos Comensais da Morte, e Harry, como um bruxo menor de idade, ainda tinha o rastreador nele. A Ordem também designou dois de seus membros, Dédalo Digglee Héstia Jones, para esconder os parentes de Harry, para que eles não pudessem ser alvos dos Comensais da Morte. Assim, a Ordem teve que levá-lo para fora, usando seis chamarizes disfarçados de Harry com Poção Polissuco. Apesar de ter sido emboscado por mais de trinta Comensais da Morte e pelo próprio Voldemort, a Ordem conseguiu levar Harry para a segurança da Toca , sua próxima sede desde que Snape conhecia o Largo Grimmauld. Infelizmente, Moody e a adorada coruja de estimação de Harry, Edwiges, foram mortas na briga.

Ataque na Toca 1997

Ordene os membros que lutam contra os Comensais da Morte durante o ataque à Toca

Cinco dias depois, em 1º de agosto de 1997, os Comensais da Morte tomaram o controle do Ministério. Scrimgeour foi assassinado e Pio Thicknesse, que Corban Yaxley tinha sob a Maldição Imperius, foi instalado como o ministro da magia de Voldemort. Quim Shacklebolt conseguiu advertir a Ordem do golpe enviando seu Patrono à Toca, onde a recepção de Gui e Fleur estava sendo realizada. Os Comensais da Morte invadiram o casamento procurando por Harry. Vários membros da Ordem foram interrogados, mas nenhum foi morto. Nesse meio tempo, Harry sumiu junto com Hermione Granger e Ron Weasley . Os três procuraram encontrar e destruir as Horcruxes de Voldemort, um conceito e missão de que o resto da Ordem não havia sido informado.[2]

Resistência Editar

River (Lino Jordan): "E, Royal, o que você responderia aos ouvintes que afirmam que em tempos perigosos como os que vivemos 'os bruxos vêm em primeiro lugar'?"
Royal (Quim Shacklebolt): "Eu diria que o passo seguinte a 'os bruxos vêm em primeiro lugar' é 'os de sangue puro vêm em primeiro lugar'. Somos todos humanos, não? Toda vida humana tem o mesmo valor e merece ser salva."
— Uma transmissão do Observatório Potter[fnt]
Indesejável Nº 1

Harry Potter rotulado como "indesejável nº 1"

Enquanto Voldemort controlava o Ministério, os membros da Ordem eram fugitivos. Os Weasleys foram mantidos sob vigilância pesada, como eles eram conhecidos por se associarem com Harry. A maldição Tabu foi colocada sobre o nome de Voldemort, já que apenas os inimigos do Lorde das Trevas estavam dispostos a falar em voz alta. Isso fez Quim Shacklebolt quase ser capturado depois de dizer o nome, mas conseguiu lutar contra os Comensais da Morte que o atacaram e fugiram.

Os Weasleys também foram forçados a se esconder depois que foi descoberto que Ron estava viajando com Harry, "Indesejável Nº 1", na primavera de 1998. Os Weasleys abandonaram The Burrow e ficaram com sua tia Muriel , protegida pelo Feitiço Fidelius, com o exceção de Gui, que residia no Chalé das Conchas com Fleur. Isso levou Arthur e Gui a deixar seus respectivos empregos, Gina sendo tirada da escola e os gêmeos incapazes de dirigir sua loja.

Observatório Potter

Observatório Potter

A Ordem liderou a resistência clandestina, participando do programa de rádio Observatório Potter, que transmitiu a verdade enquanto o Profeta Diário e outros veículos de notícias eram controlados pelo Ministério corrompido. A Ordem encorajou as pessoas a fazer o que estavam fazendo - proteger inocentes trouxas de serem prejudicados pela diversão de Comensais da Morte e nascidos trouxas que estavam sendo perseguidos pela nova Comissão de Registro de Nascidos-Trouxas do Ministério. Eles também encorajaram a comunidade bruxa a permanecer forte e unida, especialmente em tempos tão sombrios.

Batalha de Hogwarts Editar

"Temos apenas meia hora até a meia-noite, portanto precisamos agir com rapidez! Os professores de Hogwarts e a Ordem da Fênix... Muito bem, os líderes subam aqui para dividirmos as tropas!"
Quim Shacklebolt antes da Batalha de Hogwarts[fnt]
Ordem da Fênix na batalha de Hogwarts

A Ordem chega logo antes do início da Batalha de Hogwarts

Em 1 de maio de 1998, a Ordem recebeu a chamada de armas de Neville Longbottom, que foi deixado liderando a Armada de Dumbledore na Hogwarts controlada pelos Comensais da Morte. Ele usou as moedas da Armada de Dumbledore Dumbledore para contatar os membros do AD que já haviam se formado em Hogwarts, reunindo assim uma pequena força de combate. Junto com o AD, a Ordem da Fênix tomou uma posição final contra Voldemort e seu exército. A escola foi evacuada, os estudantes mais jovens saindo e os maiores de idade, que quisessem lutar ficando.

Eles formularam o plano de batalha com os professores de Hogwarts, que levaram os combatentes às três torres mais altas, enquanto Quim, Remo Lupin e Arthur Weasley lideraram as tropas até o terreno da escola, e Fred e Jorge Weasley organizaram a defesa das entradas e passagens a escola. A ponte de madeira também foi destruída por Neville, Simas Finnigan e Gina sob as ordens de McGonagall.

A Batalha de Hogwarts começou à meia-noite de 2 de maio, foi um conflito feroz. Quando Lord Voldemort descobriu que Harry estava no castelo para localizar e destruir uma de suas Horcruxes, ele ordenou que todos os Comensais da Morte e criaturas que lhe haviam prometido lealdade atacassem a escola. A batalha foi travada através do castelo e do terreno. Isso resultou em muitas baixas, os cinquenta caídos. Desses cinquenta, os membros da Ordem Remo Lupin e Ninfadora Tonks foram assassinados. Remo foi assassinado por Antonin Dolohov e Tonks por Belatriz Lestrange. Fred Weasley foi morto em uma explosão fora da Sala Precisa, esta explosão destruiu o corredor do sétimo andar.

Severo Snape se encontrou em segredo com Voldemort, que o matou usando Nagini, a fim de ganhar o poder total da Varinha das Varinhas.

Voldemort retirou suas forças e deu a Harry Potter um ultimato, ou ele destruiria Hogwarts e mataria todas as pessoas que tentassem ajudá-lo. Depois de aprender com as memórias de Snape que ele tinhaque morrer para derrotar Voldemort, Harry foi voluntariamente a Voldemort. Ele deixou o Lorde das Trevas atingi-lo com uma Maldição da Morte, não colocando resistência. No entanto, Harry sobreviveu ao encontro entrando brevemente no limbo. Harry escolheu retornar à terra dos vivos para terminar sua luta, resultando em derrotar Voldemort de uma vez por todas. Isso levou ao fim da Segunda Guerra Bruxa. Os Comensais da Morte restantes foram ou capturados ou mortos ou fugiram da escola.

Desmantelamento permanente Editar

Quim Shacklebolt

Membro da Ordem Quim Shacklebolt tornou-se Ministro da Magia

Após a queda final de Voldemort, a Ordem foi dissolvida desde que sua missão foi concluída. Os membros sobreviventes retomaram suas vidas, embora saudados como heróis de guerra e reverenciados por suas contribuições para lutar contra as Forças das Trevas. Vários membros jovens (principalmente Harry e Ronald) se tornaram Aurores para rastrear os seguidores remanescentes de Voldemort que ainda estavam foragidos. Quim passou a ser Ministro da Magia e liderou uma reforma maciça do Ministério, eliminando a corrupção e tornando o Ministério um lugar mais agradável para trabalhar.

Inimigo da Ordem, Dolores Umbridge foi condenada à prisão perpétua em Azkaban por crimes contra a humanidade. Pode-se supor que Sequestradores e Albert Runcorn também foram condenados a Azkaban. Os Sequestradores não eram Comensais da Morte, mas ainda cometeram muitos atos horríveis durante o auge da Segunda Guerra Bruxa, como assassinar Ted Tonks, nascido trouxas. Runcorn também ajudou a mandar muitos nascidos-trouxas para a prisão, tendo suas árvores genealógicas examinadas.

Os dementadores foram removidos de Azkaban e formas mais humanas de conter prisioneiros foram postas em prática. Hermione Granger trabalhou no Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas e ajudou a melhorar o tratamento dos elfos domésticos, antes de se tornar vice-chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia. Hermione eventualmente subiu para a posição de Ministro da Magia. Harry foi promovido a Chefe dos Auror em 2007, aos 26 anos de idade e depois passou a ser chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia até o verão de 2020.

Afiliados da Ordem Editar

Membros Editar

"... sangues-ruins e lobisomens e traidores e ladrões..."
Monstro insultando vários membros da Ordem[fnt]
Ordem da Fênix

Membros da Ordem da Fênix riginal posam para uma foto em 1981

Aliados Editar

Durante a Primeira Guerra Bruxa, a Ordem foi aliada do Ministério da Magia. Durante a Segunda Guerra Bruxa, no entanto, o Ministério estava às vezes cético quanto ao retorno de Lord Voldemort e depois assumido pelos seguidores de Voldemort. A Ordem foi aliada da Armada de Dumbledore, assim como vários indivíduos, durante o conflito.

Etimologia Editar

Por trás das cenas Editar

Aparições Editar

Wiki
A Harry Potter Wiki tem 5 imagens relacionadas a Ordem da Fênix.

Notas e referências Editar

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 Harry Potter e a Ordem da Fênix
  2. 2,0 2,1 2,2 Harry Potter e as Relíquias da Morte
  3. Harry Potter e as Relíquias da Morte
  4. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
  5. 5,0 5,1 5,2 Harry Potter e o Cálice de Fogo
  6. 6,0 6,1 Harry Potter e o Enigma do Príncipe


Ordem da Fênix
Order of the Phoenix logo
Fundador:
Alvo Dumbledore
Ordem da Fênix original:
Aberforth Dumbledore | Alastor Moody | Alice Longbottom | Arabella Figg | Beijo Fenwick | Caradoc Dearborn | Dédalo Diggle | Dorcas Meadowes | Edgar Bones | Elifas Doge | Emmeline Vance | Fábio Prewett | Franco Longbottom | Gideão Prewett | Héstia Jones (possivelmente) | Tiago Potter | Lílian Evans | Marlene McKinnon | Minerva McGonagall | Mundungo Fletcher | Pedro Pettigrew (desertado) | Remo Lupin | Rúbeo Hagrid | Severo Snape | Sirius Black | Estúrgio Podmore
Segunda Ordem da Fênix:
Aberforth Dumbledore | Alastor Moody | Arabella Figg | Arthur Weasley | Guilherme Weasley | Carlinhos Weasley | Dédalo Diggle | Elifas Doge | Emmeline Vance | Fleur Delacour | Fred Weasley | Jorge Weasley | Harry Potter | Hermione Granger | Héstia Jones | Quim Shacklebolt | Minerva McGonagall | Molly Weasley | Mundungo Fletcher | Ninfadora Tonks | Remo Lupin | Rony Weasley | Rúbeo Hagrid | Severo Snape | Sirius Black | Estúrgio Podmore
Aliados da Ordem da Fênix:
Andrômeda Tonks | Augusta Longbottom | Dobby | Fílio Flitwick | Gina Weasley | Grope | Horácio Slughorn | Monstro | Lino Jordan | Luna Lovegood | Muriel |
Neville Longbottom | Olívio Wood | Olímpia Maxime | Percy Weasley | Pomona Sprout | Ted Tonks | Família Westinburgh | Winky | Karkus | Esposa de Karkus
Outras afiliações:
Armada de Dumbledore | Colônia de Centauros da Floresta Proibida | Caçada dos Sem-Cabeça | Horda de hipogrifos de Hogwarts | Elfos-domésticos de Hogwarts | Fantasmas de Hogwarts | Funcionários de Hogwarts|
Alunos de Hogwarts | Horda de testrálios de Hogwarts | Ministério da Magia | Colônia de Gigantes (Sob o controle de Karkus)
Armada de Dumbledore
Ravenclaw ClearBG2 Gryffindor ClearBG2 Hufflepuff ClearBG2
Fundadores:
Harry Potter | Hermione Granger | Ronald Weasley
Líderes:
Harry Potter | Neville Longbottom | Luna Lovegood | Gina Weasley
Grifinórios:
Katie Bell | Lilá Brown | Colin Creevey | Dênis Creevey | Simas Finnigan | Angelina Johnson | Lino Jordan | Rionach O'Neal | Parvati Patil | Alícia Spinnet | Dino Thomas | Romilda Vane | Fred Weasley | Jorge Weasley | Nigel Wolpert | Garota não identificada
Corvinais:
Terêncio Boot | Cho Chang | Miguel Corner | Marietta Edgecombe | Antônio Goldstein | Padma Patil | Maisy Reynolds | Garoto não identificado
Lufanos:
Ana Abbott | Susana Bones | Justino Finch-Fletchley | Ernie Macmillan | Zacharias Smith | Leanne | Garota não identificada
Desconhecidos:
Luca Caruso | Alice Tolipan
Aliados da Armada de Dumbledore:
Ordem da Fênix | Funcionários de Hogwarts | Augusta Longbottom | Andrômeda Tonks | Ted Tonks | Percy Weasley | Olívio Wood | Dobby | Grope | Winky
Outras Afiliações:
Colônia de Centauros da Floresta Proibida | Rebanho de Hipogrifos de Hogwarts | Elfos domésticos de Hogwarts |Fantasmas de Hogwarts| Alunos de Hogwarts | Rebanho de Testrálios de Hogwarts