FANDOM


"Como o novo Ministro da Magia, eu prometo restaurar este templo de tolerância à sua antiga glória. Portanto, a partir de hoje, cada funcionário irá se submeter... a uma avaliação. Mas saiba disso: você não tem nada a temer, se não tiver nada a esconder."
—Pio Thicknesse no Ministério da Magia.[fnt]

O Ministro Pio Thicknesse foi um bruxo e oficial do Ministério da Magia nos anos 90. Durante a Segunda Guerra Bruxa, ele se tornou o Chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia assim como, mais adiante na Guerra, o Ministro da Magia sob o regime de fachada de Lord Voldemort sob a Maldição Imperius, tornando-se a marionete de Voldemort. Ele substituiu Rufo Scrimgeour, que havia sido assassinado por Voldemort. Thicknesse participou Batalha de Hogwarts, onde lutou ao lado dos Comensais da Morte, ainda amaldiçoado.

Ele foi retirado do poder após a derrota de Voldemort e foi sucedido por Quim Shacklebolt como Ministro da Magia.

Biografia Editar

Vida pregressa Editar

Thicknesse nasceu em algum lugar nas Ilhas Britânicas para a provável família Puro-sangue ou mestiça Thicknesse.[1] É provável que ele tenha frequentado a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts em sua juventude, possivelmente ganhando alguns NOMs ou NIEMs.

Algum tempo depois do seu décimo sétimo aniversário, Thicknesse juntou-se ao Ministério da Magia.

Chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia (1996-1997) Editar

"na função de chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia, Thicknesse tem contato frequente não só com o próprio ministro como também com os chefes dos outros departamentos do Ministério."
Yaxley, sobre o cargo de Thicknesse como chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia[fnt]

Quando Amélia Bones, Chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia, foi assassinada por Voldemort no verão de 1996,[7] Thicknesse foi nomeado seu sucessor, presumivelmente pelo então Ministro da Magia Rufo Scrimgeour.

Quando se leva em consideração que o Departamento de Execução das Leis da Magia é o maior departamento do Ministério (ao qual os seis departamentos restantes são todos, em alguns aspectos, responsáveis, com a possível exceção do Departamento de Mistérios),[8] parece ser É seguro presumir que Thicknesse estava no alto do Ministério no momento de sua nomeação em 1996.

Sob a Maldição Imperius (1997-1998) Editar

Voldemort: "E então, Yaxley? O Ministério terá caído até sábado?"
Yaxley: "Milorde, a esse respeito tenho boas notícias. Consegui, com dificuldade e após muito esforço, lançar uma Maldição Imperius em Pio Thicknesse."
Voldemort: "É um começo, mas Thicknesse é apenas um homem, Scrimgeour precisa estar cercado por gente nossa para eu agir. Um atentado malsucedido à vida do ministro me causará um enorme atraso."
Lord Voldemort e Yaxley durante o Reunião na Mansão Malfoy[fnt]

No verão de 1997, como parte do plano de Voldemort de assumir o Ministério, o Comensal da Morte Yaxley colocou a [[[Maldição Imperius]] em Thicknesse. Ele mencionou que isso era mais difícil do que ele esperava e o fez quase atrasado para uma importante reunião dos Comensais da Morte na Mansão Malfoy (como a natureza de Thicknesse lhe permitiu resistir). Muitos dos outros Comensais da Morte ficaram impressionados com o trabalho de Yaxley, Antônio Dolohov aplaudindo-o nas costas em parabéns, mas Voldemort salientou que Thicknesse era apenas um homem, assim como precisava do Ministro Rufus Scrimgeour cercado por seus agentes antes de agir.[3]

Thicknesse mostrou-se útil, no entanto. Como chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia, Thicknesse mantinha contato regular não apenas com o próprio ministro, mas também com os chefes de todos os outros departamentos do ministério, facilitando a subjugação dos demais. Thicknesse passou a fazer exatamente isso, permanecendo não descoberto e usando sua posição para se infiltrar nos altos escalões do Ministério, lentamente trabalhando juntos para derrubar Scrimgeour.[3]

Thicknesse também ajudou Voldemort a prender Harry Potter na Rua dos Alfeneiros, nº4, principalmente ao torná-lo uma ofensa imprisonable para conectar a casa à Rede de Flu, colocar uma chave de portal lá, ou aparatar dentro ou fora. Oficialmente, tudo isso foi feito para a proteção de Harry, mas, na realidade, não fazia sentido, pois Harry era protegido por um feitiço do sangue de sua mãe enquanto morava com seus parentes. O Rastreamento também estava em vigor, por isso, se Harry ou alguém ao seu redor lançasse um feitiço para tirá-lo de lá, Thicknesse saberia disso e os Comensais da Morte também o fariam.[9]

A Ordem da Fênix, como resultado, acreditava que Thicknesse havia passado para o outro lado, o que tornava um grande problema o plano de mover Harry. Eles abandonaram o plano original, pois não podiam esperar que o Rastreamento se partisse: no momento em que Harry fizesse dezessete anos, toda a proteção que recebesse de sua mãe estaria perdida. Em suma, Thicknesse achava que Harry tinha dominado o bom e o adequado, ao que Harry não pôde deixar de concordar.[9] Como tal, a Ordem foi reduzida a usar o único meio de transporte mágico que lhes restava: vassouras, Testrálios e a motocicleta de Sirius Black, preparando o terreno para o vôo de Little Whinging,[9] e o assassinato de Alastor Moody por Voldemort.[10]

Como Ministro da Magia Editar

"Como o novo Ministro da Magia, eu prometo restaurar este templo de tolerância à sua antiga glória. Portanto, a partir de hoje, cada funcionário irá se submeter... a uma avaliação. Mas saiba disso: você não tem nada a temer, se não tiver nada a esconder."
—Pio Thicknesse no Ministério da Magia.[fnt]
Eventualmente, Thicknesse e os outros subversivos funcionários do Ministério de alto escalão lançaram um golpe "suave e praticamente silencioso" ao lado dos Comensais da Morte,[2] e em 1 de agosto de 1997, o Ministério caiu.[11] O Profeta Diário também foi tomado, a versão oficial do assassinato de Scrimgeour foi que ele renunciou, assim como Thicknesse o substituiu. Apenas a Ordem parecia estar ciente de que ele estava sob a Maldição Imperius. Como resultado, Thicknesse não passava de uma marionete, cuidando dos negócios diários, enquanto Voldemort, efetivamente o verdadeiro ministro, estava livre para estender seu poder além do Ministério.[2]

Thicknesse, na direção de Voldemort, instalou um novo regime no Ministério que estava mais de acordo com a ideologia dos Comensais da Morte.[2] Suas ações incluíam ter uma estátua representando uma bruxa e um bruxo em cima de um trono feito de corpos de trouxas rudimentares, inscritos com o lema "Magia é Poder", instalado no Átrio do Ministério , substituindo a Fonte dos Irmãos Mágicos[12] Yaxley sucedeu Thicknesse como chefe do Departamento de Execução das Leis Magia,[12] e vários outros Comensais da Morte, como Travers[5] e Selwyn,[13] foram nomeados para outros cargos poderosos dentro do Ministério.

Enquanto isso, na Escola de Hogwarts, as Artes das Trevas e representações preconceituosas dos trouxas foram ensinadas pelos professores Amico e Aleto Carrow, respectivamente, sob o novo diretor, Severo Snape.[12] A frequência de Hogwarts tornou-se obrigatória, assim como os estudantes devem provar seu status de sangue, com os nascidos trouxas removidos.[2] Harry Potter foi declarado "Indesejável Número 1", procurado por questionar sobre a morte de Alvo Dumbledore.[5] com uma recompensa de dez mil galeões na cabeça[12]

Usando pesquisas falsificadas feitas no Departamento de Mistérios, o Ministério afirmou que os nascidos-trouxas "roubaram" sua magia das bruxas e bruxos "reais". Como resultado, a Comissão de Registro dos Nascidos-Trouxas foi criada para perseguir e prender os nascidos-trouxas,[2] com Dolores Umbridge como sua chefe.[5] Para prender quaisquer nascidos-trouxas ou traidores de sangue em fuga, a organização dos Sequestradores foi formada.[14] Também pessoas com conexões conhecidas com a Ordem da Fênix ou com simpatia por trouxas, como Arthur Weasley, foram colocadas sob vigilância.[5]

Quando Harry Potter, Hermione Granger e Ronald Weasley se infiltraram no Ministério em busca de uma das Horcruxes de Voldemort, Harry encontrou Thicknesse sob a forma de Albert Runcorn, com quem Thicknesse parecia familiar. Thicknesse, na época, usava vestes magníficas de preto e dourado.[5]

Harry testemunhou a natureza alterada de Thicknesse enquanto estava sob a Maldição Imperius, o mostrou ter um forte ódio pelos nascidos-trouxas, referindo-se a eles como "sangue-ruim", assim como traidores de sangue, que ele alegava desprezar tanto quanto. Enquanto Harry procurava a Horcrux no escritório de Umbridge, Thicknesse chegou por um momento para anotar uma nota, assim como quase descobriu Harry enquanto ele estava sob a Capa da Invisibilidade, embora no final não tenha notado ele.[5]

No final de 1997, a filha de Xenofílio Lovegood foi sequestrada para impedir que ele dissesse a verdade ao público e encorajava o apoio de Harry Potter em sua revista, O Pasquim. Na esperança de recuperá-la, ele enviou uma coruja para o Ministério quando Harry, Hermione e Ronald foram vê-lo. Thicknesse prontamente despachou Travers e Selwyn para investigar. Eles prenderam Lovegood, mas não conseguiram capturar o trio.[13]

Batalha de Hogwarts Editar

Durante a Batalha de Hogwarts, Thicknesse estava estacionado nas fileiras dos Comensais da Morte e lutou com eles contra os defensores do castelo. Ele estava entre um grupo de Comensais da Morte mascarados e encapuzados que conseguiram penetrar em Hogwarts e duelaram com Percy Weasley. Seu capuz escorregou quando ele tentou evitar ser amaldiçoado e Percy zombou de seu ex-chefe antes de usar um feitiço de ouriço-do-mar, fazendo com que Thicknesse gerasse espinhos parecidos com ouriços-do-mar por todo seu corpo. O corredor em que estavam foi danificado em uma explosão que matou Fred Weasley.[4] Thicknesse e seus companheiros mais tarde se retiraram sob o comando de Voldemort.[15]

Vida posterior (Pós 1998) Editar

É incerto se Thicknesse foi morto durante a batalha, ou apenas atordoado. O último parece mais provável, como Arthur Weasley, como o resto da Ordem da Fênix, sabia que Thicknesse estava sob a influência da Maldição Imperius.[9] Após a morte de Voldemort, todas as pessoas em todo o país que estiveram sob a Maldição Imperius voltaram para si: se ele sobrevivesse à batalha, isso incluiria Thicknesse. Logo após a batalha, Quim Shacklebolt foi nomeado Ministro da Magia temporário, que mais tarde se tornou uma nomeação permanente.[16]

Apesar de efetivamente ter servido como o 34º Ministro da Magia Britânico de 1997 a 1998, Thicknesse agora é rotineiramente omitido da maioria dos registros oficiais sobre o regime dos Comensais da Morte,[17] já que sua inconsciência evita qualquer responsabilidade por suas ações na época.

Aparência física Editar

Personalidade e traços Editar

Não se sabe como Thicknesse era antes da Maldição Imperius ser colocada sobre ele, ou depois que foi removido quando Voldemort foi derrotado. Embora sob a maldição, seu ar de elevada autoridade misturado com sua aparência geralmente o tornava intimidante e um pouco feliz com a maneira como as coisas estavam sendo executadas no Ministério sob ele e com os Comensais da Morte (mais proeminentemente Yaxley), casualmente defendendo a visão de que traidores de sangue eram tão ruins quanto sangues-ruins para Harry Potter, que estava disfarçado como Albert Runcorn na época.[5]

Seria injusto julgar Thicknesse apenas em suas atividades durante seu mandato como Ministro da Magia, no entanto, como ele estava sendo controlado pelo Comensal da Morte Yaxley na época e não era responsável por suas ações. No entanto, uma vez que os Comensais da Morte tiveram que recorrer à Maldição Imperius para obter Thicknesse do seu lado, é seguro dizer que ele não era um simpatizante de seus ideais. Como chefe do maior departamento do Ministério, pode-se presumir que ele era um bruxo bastante capaz e um oficial da lei. Está implícito que ele era um indivíduo de força de vontade, como ele tentou muito resistir aos efeitos da Maldição Imperius.[3]

Capacidades e habilidades mágicas Editar

Etimologia Editar

Por trás das cenas Editar

Aparições Editar

Wiki
A Harry Potter Wiki tem 3 imagens relacionadas a Pio Thicknesse.

Notas e referências Editar


Ministros(a) da Magia da Grã-Bretanha
Ministros da Magia:


Funcionários do Departamento de Execução das Leis da Magia
Logotipo do Departamento de Execução das Leis da Magia
Chefes do Departamento
Justo Pilliwickle | Bartolomeu Crouch Sr. | Amélia Bones | Pio Thicknesse | Yaxley | Harry Potter
Seção dos Aurores
Chefes: Rufo Scrimgeour | Gawain Robards | Harry Potter
Alastor Moody | Alice Longbottom | Franco Longbottom | John Dawlish | Kingsley Shacklebolt | Neville Longbottom | Ninfadora Tonks | Proudfoot | Ronald Weasley | Savage | Williamson | Auror masculino não identificado em Hogwarts | Aurores não identificados | Aurores não identificados estacionados no Salão Principal | Diretor do Departamento de Investigação Nº 61042
Seção de Controle do Uso Indevido de Magia
Chefes:Travers | Dolores Umbridge
Outros
Minerva McGonagall | Elphinstone Urquart | Alastor Gumboil | Arnoldo Peasegood | Perkins | Hermione Granger | Travers | Bob Ogden | Arthur Weasley | Dempster Wiggleswade | Dez subordinados de Arthur Weasley