Fandom

Harry Potter Wiki

Salgueiro Lutador de Hogwarts

2 046 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

"Os alunos costumavam brincar de tentar se aproximar do tronco e tocar a árvore com a mão. No fim, um garoto chamado Davi Gudgeon quase perdeu um olho e fomos proibidos de chegar perto do salgueiro."
Remo Lupin sobre o Salgueiro Lutador, em 1993.[fnt]

Um Salgueiro Lutador está localizado nos terrenos da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. A árvore foi plantada em 1971 para guardar a entrada de uma passagem que vai dos terrenos da escola à Casa dos Gritos, localizada na vila de Hogsmeade. Uma planta extremamente violenta, é conhecida por atacar qualquer um que perturbe seus arredores[1].

HistoriaEditar

O Salgueiro Lutador foi plantado por volta do ano de 1971, o ano em que Remo Lupin começou a frequentar Hogwarts. Ela foi plantada para guardar a entrada de uma passagem secreta que vai dos terrenos de Hogwarts à Casa dos Gritos, em Hogsmeade. Isto permitiu a Lupin viajar até a Casa despercebido, onde ele poderia se transformar em lobisomem sozinho, à lua cheia. Há duas maneiras de imobilizar o Salgueiro Lutador de Hogwarts: apertando um nó na base da árvore ou usando o feitiço "Immobulus"[2]. O propósito da árvore foi mantido em segredo de todos, exceto dos funcionários da escola e dos três melhores amigos de Lupin, Tiago Potter, Pedro Pettigrew e Sirius Black. Na época, Severo Snape também descobriu seu propósito.

Ano letivo de 1992-1993Editar

Salgueiroford.jpg

O Salgueiro se defende violentamente contra o Ford Anglia voador.

Em 1992, Harry Potter e Ronald Weasley acidentalmente bateram o Ford Anglia voador dos Weasley na árvore, causando sérios danos à árvore. A árvore se defendeu violentamente e quase matou ambos os garotos. No dia seguinte, a professora de Herbologia, Pomona Sprout, teve de cuidar da árvore para reparar os danos, possivelmente auxiliada pelo então professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, Gilderoy Lockhart[3].

Ano letivo de 1993-1994Editar

Em 1993, a vassoura de Harry Potter, Nimbus 2000, foi destruída quando caiu do ar nos galhos da árvore.

200px-2003 harrypotter and prisoner of azkaban 007.jpg

O Confronto na Casa dos Gritos. Adentrada através de uma passagem secreta guardada pelo Salgueiro Lutador.

Em 1994, Sirius Black, em sua forma animaga de um enorme cão negro, puxou Rony para dentro da passagem secreta abaixo do Salgueiro que leva à Casa dos Gritos. Eles foram seguidos por Harry e Hermione, e então por Lupin e Snape[4].

Batalha de HogwartsEditar

Em 1998, Harry, Rony, e Hermione entraram pela passagem abaixo do Salgueiro e entraram na Casa dos Gritos durante a Batalha de Hogwarts. Lá, eles testemunharam o assassinato de Snape por Lord Voldemort e sua cobra, Nagini[5].

Atrás das cenasEditar

Willowhogwarts.jpg

O Salgueiro Lutador durante o inverno.

Whompingwillow.jpg

O Salgueiro Lutador durante o verão.

  • No jogo Harry Potter e a Câmara Secreta, o Salgueiro Lutador está localizado na orla da Floresta Proibida. Essa é a maior versão da planta, já que se parece que tem cerca de trinta metros de altura.
  • A árvore também apareceu no Mapa do Maroto incluso no jogo Harry Potter e a Ordem da Fênix. A árvore foi desenhada com as letras W-H-O-M-P-I-N-G W-I-L-L-O-W, em vez de linhas. A aparição da árvore no mapa é estranha, já que a árvore não apareceu no jogo.
  • Na adaptação cinematográfica de Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban, Remo Lupin imobiliza a árvore. No entanto, no livro, alguém tem que apertar o nó que há na árvore.
  • Na realidade, a árvore conhecida com 'Salgueiro' não se parece com o Salgueiro Lutador dos filmes.

ApariçõesEditar

Notas e referênciasEditar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória