Fandom

Harry Potter Wiki

Sirius Black

2 045 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

"Sirius era um homem corajoso, inteligente e dinâmico, e homens assim em geral não se contentam em ficar escondidos em casa, sabendo que outros estão em perigo."
Alvo Dumbledore[fnt]

Sirius Black III (1959[2] - 18 de junho de 1996), também conhecido por seu apelido, Almofadinhas, foi um bruxo puro-sangue, filho de Orion e Walburga Black e irmão mais velho de Régulo por um pouco mais de um ano. Embora tenha sido o herdeiro da Casa dos Black, Sirius descordou com a crença de sua família em relação à pureza de sangue e desafiou a tradição quando foi selecionado para a Grifinória em vez da Sonserina na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, que ele frequentou de 1971 a 1978. Enquanto o relacionamento de Sirius com sua família deteriorou, ele conquistou a amizade de Tiago Potter, Remo Lupin e Pedro Pettigrew. Os quatro amigos, também conhecidos como os Marotos, se juntaram à Ordem da Fênix para lutar contra Lord Voldemort e seus Comensais da Morte durante a Primeira Guerra Bruxa. Sirius também se tornou o padrinho de Harry Potter, filho de Tiago e Lílian Potter. Quando Pettigrew traiu os Potter para Voldemort, Sirius foi se vingar de Pettigrew. Entretanto, Pettigrew pôde culpar Sirius por sua traição dos Potter, o assassinato de doze trouxas, e o assassinato encenado de Pettigrew antes de Sirius fazê-lo.

Sirius foi mandado para Azkaban por doze anos, eventualmente tornando-se a única pessoa a escapar da prisão sem ajuda, se transformando em sua forma de animago - um grande cão preto, confundido com o Sinistro. Sirius expôs a mentira de Pettigrew a seu velho amigo Remo e a seu afilhado Harry. Depois de Lord Voldemort retornar em 1995, Sirius retornou à Ordem. Ele foi morto por sua prima Belatriz Lestrange durante a Batalha do Departamento de Mistérios, e subsequentemente absolvido de todas as acusações pelo Ministério da Magia.

Ele reapareceu brevemente através da Pedra da Resurreição para Harry, junto com Tiago, Lílian e Remo em 1998.

BiografiaEditar

"Sirius era um homem corajoso, inteligente e dinâmico, e homens assim em geral não se contentam em ficar escondidos em casa, sabendo que outros estão em perigo."
Alvo Dumbledore[fnt]

InfânciaEditar

Sirius foi o último herdeiro da Casa dos Black, uma já notável família bruxa de sangue puro. Seus pais, Orion e Walburga, eram ambos Black por nascimento e primos segundos. Sirius tinha um irmão mais novo, Régulo, que morreu depois de se voltar contra Lord Voldemort em 1979 , tentando destruir suas Horcruxes. Ele foi morto pelos Inferi que guardavam uma de suas Horcruxes (embora Sirius não sabia disso). Sirius não tinha um relacionamento próximo com seu irmão, o chamando de "um filho melhor" do que ele.[3]

"Sirius" é um nome da família Black tradicional, sendo usado por pelo menos três gerações e seguindo a tradição familiar de dar aos filhos o nome de estrelas, constelações e galáxias. Os nomes Cygnus, Arturo, e Régulo são usados pelo menos duas vezes cada. Entretanto, apenas um Sirius - Sirius Black II, o bisavô do Sirius em questão - deixou uma linhagem, que terminou com o Sirius mais jovem.[4]

A família Black acreditava fortemente no elitismo puro-sangue. Eles se recusaram a confraternizar com Trouxas ou nascidos-trouxas, Abortos, traidores de sangue e até mesmo membros da família abortados, como o tio avô de Sirius, Marius Black, e insistiam que seus membros apenas se casarem com classes puro-sangue respeitáveis, por causa dessas crenças, eles foram obrigados a se casar com os próprios primos. Os Black também reverenciavam as Artes das Trevas. Sirius rejeitava estes valores, o levando a um conflito com sua família. Ele ainda pôs fotos de garotas trouxas de biquíni e motocicletas nas paredes do seu quarto para enfatizar suas diferenças de sua família e irritar seus pais [5]. Quando suas primas, Belatriz e Narcisa se casaram com os bruxos puro–sangue Rodolfo Lestrange e Lúcio Malfoy, respectivamente, Sirius os desdenhou. Sua prima favorita, Andrômeda, foi deserdada por sua família como uma "traidora de sangue" quando se casou com Ted Tonks, um bruxo nascido-trouxa.

Mesmo odiando muitos membros de sua família, Sirius se tornou amigo de sua prima, Ninfadora Tonks, assim como seu afilhado, Harry (a quem ele amou como um filho), os amigos de Harry, Hermione e Rony, (seu primo terceiro) e seus primoos da família Weasley. [3]

HogwartsEditar

200px-YoungSirius.jpg

Sirius pouco depois de sua Seleção.

"Lindo, não é? Nunca vou me esquecer da primeira vez que entrei por aquela porta. Vai ser bom voltar como um homem livre."
—Sirius para Harry, lembrando-se de seus dias em Hogwarts.[fnt]

Sirius teve uma infância infeliz; na adolescência, ele passou a odiar ainda mais a maioria de seus parentes, em particular sua mãe e sua prima, Belatriz. Enquanto todos os outros membros da família Black foram para a Sonserina, Sirius foi selecionado para a Grifinória, mostrando que seus pontos de vista já divergiam do resto de sua família antes de ele vir para a escola.

200px-JamesndSirius.jpg

Sirius em sua juventude, com seu melhor amigo e Maroto Tiago Potter.

Entretanto, ele gostou muito de sua vida em Hogwarts, onde não se separava de seus amigos, Tiago Potter, Pedro Pettigrew e Remo João Lupin. Eles depois descobriram que Remo era um lobisomem. Para apoiá-lo, Sirius, Tiago e Pedro secretamente – e ilegalmente – se tornaram Animagos, o que os permitiu acompanhar Remo durante suas transformações e o manter sobre controle. Sirius se transformou em um enorme cão preto – não muito diferente do Sinistro – de onde veio seu apelido, “Almofadinhas”. Tiago se transformou em um veado – Pontas – e Pedro se transformou em um rato, de onde veio seu apelido, Rabicho. Os quatro amigos se chamaram de “os Marotos” e usaram os apelidos “Aluado, Rabicho, Almofadinhas e Pontas"; Almofadinhas, Pontas e Rabicho por causa da forma animal que tomavam, enquanto Aluado derivou da condição de lobisomem de Lupin.

Embora tenha se considerado “um idiota” naquela época, Sirius, juntamente com Tiago, era imensamente popular: os professores respeitavam sua inteligência, embora não respeitassem seu comportamento, e as garotas adoravam seu jeito sombrio e sedutor, mas sua atitude rebelde o fez ignorá-las. Muitos professores o consideravam, junto com Tiago, encrenqueiros, ou pregadores de peças; Hagrid uma vez os comparou com os gêmeos Fred e Jorge Weasley.

A popularidade de Sirius não era universal. Inicialmente, Tiago Potter e Severo Snape construíram um ódio mútuo. Sirius ativamente apoiou Tiago, levando Snape a guardar um rancor que levaria para toda a vida de Sirius, que resultou em deixar Snape feliz após a morte de Sirius. Enquanto assistia uma das memórias de Snape na Penseira, Harry viu Sirius e Tiago fisicamente atacavam Snape simplesmente por estarem chateados. Sirius tentou justificar essas ações dizendo que ele e Tiago tinham apenas 15 anos na época – ao que Harry replicou: “Eu tenho quinze anos!” -, embora tenha admitido que ele e Tiago eram “idiotas arrogantes”, e que não tinha orgulho de seu comportamento. Sirius e Tiago pararam de atormentar Snape, mas aparentemente nunca se desculparam.

Inicialmente em sua vida em Hogwarts, Sirius pregou uma peça potenciamente mortal em Snape. Ele informou a Snape como entrar em um túnel debaixo do Salgueiro Lutador que o levaria à Casa dos Gritos onde, sem Snape saber, Remo Lupin se confinava depois de se transformar em um lobisomem. Snape foi lá durante a lua cheia, e Tiago foi forçado a resgatá-lo. Sirius desculpou sua ações, dizendo que ele simplesmente disse a Snape que gostaria de conhecer o túnel, omitindo informações cruciais. Ele simultaneamente disse que Snape mereceu. O ressentimento que Snape sentiu por Sirius nunca passou.

Aos dezesseis anos, Sirius fugiu da sua família e se refugiou com Tiago Potter e sua família. Os Potter generosamente adotaram Sirius como um filho. Sua mãe enfurecida queimou seu nome na árvore genealógica da família, como era a tradição para aqueles que não apoiavam a ideologia suprematista da família. O tio de Sirius, Alphard,irmão de Walburga, simpatizava com seu jovem sobrinho e o deixou uma grande herança, o que levou Walburga a queimar seu nome da árvore também. Sirius ficou financeiramente independente pela ação generosa de seu tio.

Primeira Guerra BruxaEditar

Depois de deixar a escola, Sirius lutou contra Lord Voldemort, juntando-se à Ordem da Fênix. Por volta de 1977, ele e Tiago foram perseguidos em uma motocicleta por dois policiais. Embora a perseguição tenha sido iniciada por diversão, tudo ficou mais sério quando a dupla foi atacada por três homens em vassouras. Sirius e Tiago usaram suas varinhas para levanter a viatura que os perseguia e seus atacantes bateram nela.
150px-Srius.jpg

O jovem Sirius, durante a Primeira Guerra Bruxa.

Ele permaneceu amigo de Tiago, e foi ao seu casamento como padrinho. Quando Harry nasceu, Tiago e Lílian o escolheram para padrinho, o designando como o guardião de Harry em caso de sua morte. Sirius deu a Harry sua primeira vassoura em seu primeiro aniversário. [5]

Depois de se juntar à Ordem da Fênix, Sirius se encontrava desconfiado e estressado devido ao terror que Lord Voldemort espalhava. Já em outubro de 1981,ele já não confiava em seu velho amigo Remo Lupin, suspeitando que ele era um espião e o privando de informações importantes. Entretanto, ele confiou em Pedro Pettigrew implicitamente, uma decisão que se arrependeria pelo resto da vida.

Em 1981, os Potter sabiam que Harry, junto com o filho dos também membros da Ordem da Fênix, Alice e Frank Longbottom, se tornaram os alvos específicos de Lord Voldemort. Alvo Dumbledore aconselhou os Potter a se esconderem usando o Feitiço Fidelius, que Dumbledore esperava escondê-los de Voldemort. Tiago esperava que Sirius fosse seu Fiel do Segredo, acreditando que Sirius preferia morrer a revelar onde estavam. Entretanto, acreditando que Voldemort suspeitaria dele, Sirius sugeriu alguém fraco, sem talento — Pedro Pettigrew — como uma escolha menos óbvia. Deixando todos, incluindo Remo Lupin e Alvo Dumbledore, sem saber de nada, Sirius e os Potter usaram Pettigrew como o Fiel do Segredo e Sirius como uma isca.[6]

200px-Wantd.jpg

O cartaz de procurado de Sirius Black posto em Hogwarts, Hogsmeade e outros lugares mágicos.

PrisãoEditar

Em 31 de outubro de 1981, Sirius foi ao esconderijo de Pettigrew e não o encontrou lá. Inquieto pela falta de sinais de luta, Sirius foi para Godric's Hollow, descobrindo a casa dos Potter destruída e seus amigos mortos; somente o bebê Harry sobrevivia. Quando Rúbeo Hagrid apareceu para resgatar Harry, sob as ordens de Dumbledore, Sirius se ofereceu para ele mesmo levar Harry. Entretanto, Hagrid disse a Sirius que Dumbledore tinha planos de mandar Harry para a irmã de Lílian, Petúnia Dursley. Sirius concedeu, e deu a Hagrid sua motocicleta voadora, dizendo a ele que não precisaria dela; entretanto, Hagrid pretendia devolver a moto a Sirius depois de levar o bebê.[7]

Depois de deixar Godric's Hollow, Sirius, cheio de ódio, localizou Pettigrew, determinado a matá-lo. Entretanto, Pettigrew enganou Black: enfrentado por Sirius em uma rua de uma cidade, ele gritou que Sirius tinha traído os Potter, e criou uma explosão enorme que o permitiu falsificar sua própria morte, deixando um dedo avariado para trás como evidência, e matando doze trouxas. Fudge disse que viu Black rindo como um maníaco na cena do crime, sugerindo que Sirius pensou que Pedro tinha morrido e que estava feliz com isto. Sirius foi preso Departamento de Execução das Leis Mágicas e foi condenado sem julgamento a ir para Azkaban pelo assassinato de Pettigrew e dos doze trouxas, por dar informações sobre o paradeiro dos Potter e por estar a serviço de Lord Voldemort. Ele passaria os próximos doze anos em uma solitária à mercê dos guardas de Azkaban, os Dementadores.

Sirius manteve sua sanidade focando-se em sua inocência.

Fuga de AzkabanEditar

200px-Blackprison.jpg

Sirius Black pouco depois de sua fuga de Azkaban

A fuga de Black foi, no mínimo, lendária. Em 1993, ele se tornou a primeira pessoa a escaper da prisão dos bruxos de Azkaban. Depois de vários anos Azkaban, Sirius conseguiu recuperar energia suficiente para se transformar em um Animago. Como os Dementadores tinham dificuldade de sentir as emoções dos animais, que eram muito menos complexas, Sirius não foi relativamente afetado como um cachorro. Depois de receber uma edição do Profeta Diário de Cornélio Fudge durante uma inspeção, Sirius descobriu que Pettigrew ainda estava vivo e que estava se escondendo como o animal de estimação de Rony Weasley. Querendo, agora mais do que tudo, se vingar, Sirius se transformou em um Animago e, de tão subnutrido que estava, ele passou pelas barras da sua cela e passou pelos Dementadores. Ele nadou pelo Mar do Norte até a liberdade, embora a jornada quase o matou. Ele conseguiu ir até Little Whinging para ver seu afilhado como um adolescente, onde sua aparição assustou Harry antes de o Nôitibus Andante aparecesse. Quando as notícias dos susurros de Sirius – “Ele está em Hogwarts” – enquanto dormia, e de sua subsequente fuga, foram anunciadas, a comunidade bruxa entrou em alerta máximo, acreditando que ele planejava matar Harry em uma tentativa louca de trazer Lord Voldemort de volta.

200px-2003 harrypotter and prisoner of azkaban 007.jpg

Sirius, Harry, Rony, Hermione, e Remo na Casa dos Gritos.

Sirius se refugiou perto de Hogsmeade e da Floresta Proibida, onde foi localizado algumas vezes e confundido com o Sinistro. Ele conheceu Bichento, o gato de Hermione Granger, que reconheceu que Sirius não era realmente um cachorro, e que também reconheceu quem Pedro era. Bichento tentou trazer Pedro para Sirius, mas Rony o protegeu. Desesperado, Sirius entrou em Hogwarts pela velha passagem da Casa dos Gritos, e em uma ocasião atacou o retrato da Mulher Gorda quando ela se recusou a deixá-lo entrar na Torre da Grifinória. Depois, ele veio para assistir a partida de Quadribol entre a Grifinória e a Lufa-Lufa, onde ele testemunhou a incrível habilidade de Harry no voo, assim como Tiago. Eventualmente, Sirius pôde entrar na Sala Comunal da Grifinória com um lista de senhas que Bichento roubara de Neville Longbottom, e rasgou as cortinas da cama de Rony, procurando por “Perebas”. Pedro não se estava ali, já que a fuga de Sirius o levou a, mais uma vez, falsificar sua morte e esconder-se.

150px-Siriusescape.jpg

Sirius na passagem que leva à Casa dos Gritos.

Em junho, Sirius pegou Rony carregando Perebas, depois deste ser descoberto na cabana de Hagrid, e levou ambos pelo túnel sob o Salgueiro Lutador para a Casa dos Gritos. Harry e Hermione Granger os seguiram, pretendendo confrontá-lo sobre a suposta traição de seus pais, apesar das óbvias diferenças de idade e níveis de habilidade; o estado enfraquecido de Sirius levou o garoto a, facilmente – e sem empunhar uma varinha – derrubá-lo, mesmo com as tentativas de Bichento de ajudar o Animago. Depois de Harry ter Sirius à sua mercê, Remo Lupin, que viu Pedro no Mapa do Maroto confiscado, disarmou Harry e cumprimentou seu velho amigo calorosamente. Juntos, Lupin e Sirius revelaram a verdadeira forma de Pedro. Ambos queriam matar seu velho amigo por trair Tiago e Lílian, mas Harry os impediu de fazê-lo, acreditando que seria melhor que Pettigrew enfrentasse a justiça nas mãos dos Dementadores, já que não queria que os amigos de seu pai se tornassem assassinos.

Sirius: "Foi muito nobre o que você fez lá atrás; ele não merecia."
Harry: "Eu não acho meu pai queria que seus dois melhores amigos se tornassem assassinos. Além disso, morto, ele leva a verdade com ele. Vivo, inocenta você."
— Sirius e Harry depois de exporem Pettigrew.[fnt]
180px-Sirius blacksoul.jpg

Um Dementador tentando dar o Beijo do Dementador.

Enquanto voltavam ao castelo, Sirius, hesitante, perguntou Harry se gostaria de morar com ele, pensando que Harry não gostaria de viver com os tios que o criaram; Harry concordou entusiasmado, maravilhado com a ideia de deixar os Dursley e finalmente ter um lar de verdade. Infelizmente, depois de deixarem o Salgueiro Lutador, Lupin se transformou pela lua cheia, e, tendo esquecido de tomar a Poção de Acônito na correria de ter descoberto Pettigrew, ficou incontrolável. Tentando proteger Harry, Rony, e Hermione de Lupin, Sirius se transformou em de volta em um cachorro, dando, involuntariamente, uma chance de escapar a Pettigrew. Sirius foi muito ferido depois de lutar com o Lupin lobisomem, e não pôde se proteger quando os Dementadores que guardavam Hogwarts chegaram. Harry, que seguiu Harry e o encontrou deitado inconsciente e cercado pelas criaturas encapuzadas, tentou fazer o Feitiço do Patrono, que não teve efeito. Os Dementadores quase sugaram a alma de Sirius, até que um Patrono poderoso na forma de um veado os mandou embora.

200px-Siriusblack.jpg

Sirius antes de Harry e Hermione resgatá-lo no topo da torre

Sirius foi brevemente recapturado por Snape, e foi condenado ao Beijo do Dementador, um destino pior do que a morte. Miraculosamente, e sob a sugestão de Alvo Dumbledore, Harry e Hermione usaram o Vira-Tempo de Hermione a escapar; como Dumbledore disse que "mais de uma vida inocente” poderia ser salva aquela noite, eles resgataram o hipogrifo Bicuço da morte, dando a Sirius uma forma de viajar. Sirius continuou foragido, embora continue vivo e com sua alma intacta. Depois de sua fuga, ele mandou Harry, Rony e Hermione uma carta por uma corujinha hiperativa, explicando que foi ele que mandou a Firebolt no Natal, e dando a Harry permissão, como padrinho, de ir a Hogsmeade. Ele também se desculpou a Rony pela perda de seu animal de estimação, pedindo-o para aceitar a coruja no lugar de "Perebas”.[6][8]

Eventos acerca do Torneio TribruxoEditar

200px-Siriusfire.jpg

Sirius conversa com Harry através da lareira da Sala Comunal da Grifinória em 1994.

Sirius fugiu para fugiu para Europe além da jurisdição do Ministério da Magia. Ele se comunicou com Harry – usando pássaros tropicais coloridos, para o desgosto de Edwiges) muito raramente para manter o sigilo de sua localização. Harry começou a confiar fielmente nos conselhos de Sirius quando precisava. Sirius voltou para a Grã-Bretanha quando Harry o disse que sua cicatriz estava doendo, o que veio a significar um sinal do retorno do poder ou da presença de Lord Voldemort.

Quando Harry misteriosamente entrou no Torneio Tribruxo, Sirius se escondeu em uma caverna perto de Hogsmeade e apoiou Harry durante este tempo.[8] Ele alertou Harry sobre Igor Karkaroff, o diretor de Durmstrang, dizendo a Harry que Karkaroff era um Comensal da Morte e que ele cedeu um número considerável de nomes em troa de sua liberdade. Harry contou a Sirius que viu o nome "Bartolomeu Crouch" aparecer no Mapa do Maroto quando estava trabalhando na segunda pista. Sirius disse a Harry para se focar na tarefa e deixar o mistério acerca da “doença” de Crouch para os outros.

Quando Bartô Crouch misteriosamente desapareceu nos terrenos de Hogwarts, Sirius disse a Harry que alguém não queria que Crouch chegasse a Dumbledore. Ele aconselhou Harry a continuar sua prática de feitiços defensivos e a nunca andar sozinho.[8]

Segunda Guerra BruxaEditar

180px-SiriusBlac.jpg

Sirius durante a Segunda Guerra Bruxa.

Com Lord Voldemort com sua forma física restaurada, Dumbledore reuniu a Ordem da Fênix mais uma vez, ordenando Sirius reunir os velhos membros e informá-los da situação. Sirius doou a casa de sua família – o Largo Grimmauld 12, em Londres - para ser a Sede da Ordem. Infelizmente, como ele ainda era procurado, Sirius nunca pôde sair da casa em segurança e ficou bastante amargo em relação a sua "inutilidade". Quando ele saiu da casa por poucos momentos para ver Harry no Expresso de Hogwarts, Draco Malfoy cumprimenta Harry em relação a seu cachorro, que, combinado com certos comentários que Malfoy fez no trem, sugere que o disfarce de Sirius estava furado.

250px-Sirius Blak.jpg

Sirius em uma reunião da Ordem.

Harry e Sirius mantiveram contato durante o ano escolar de Harry através de corujas e da Rede de Flu, embora a presença de Sirius quase foi descoberta por Dolores Umbridge durante sua permanência em Hogwarts aquele ano.

240px-Siriusandhary.jpg

Sirius vê Harry na Estação King’s Cross.

Sirius agiu mais como um irmão do que um pai para Harry durante o ano com Umbridge, encorajando-o a se opôr a suas reformas e fortemente aprovando a formação da Armada de Dumbledore. Seu forte apoio dado à Armada de Dumbledore preocupou Hermione, que pensou que Sirius estava tentando viver entre eles. Ele respondeu todas as questões de Harry sobre a Ordem e Voldemort, embora muitos dos membros achassem Harry muito novo para enfrentar a verdade.[3] Ele também disse a Harry para contatá-lo caso Snape pegasse pesado em suas aulas de Oclumência.

Batalha do Departamento de Mistérios e morteEditar

"Vamos, você sabe fazer melhor que isso!"
—As últimas palavras de Sirius, para Belatriz Lestrange.[fnt]
250px-Siriusdo.jpg

Visão de Harry mostrando Sirius no Departamento de Mistérios.

Voldemort usou Legilimência para implantar uma falsa visão na mente de Harry de Sirius sendo torturado no Departamento de Mistérios, convencendo Harry de que Sirius tinha de fato sido capturado. Depois de dar uma mensagem críptica a Severo Snape o informando da situação e depois de deixar Umbridge na Floresta Proibida, Harry, juntamente com Rony, Hermione e os outros membros da A.D., Gina Weasley, Neville Longbottom e Luna Lovegood, voaram até Londres através de Testrálios. Os estudantes chegaram no Ministério da Magia deserto e conseguiram entrar no Departamento de Mistérios e depois descobriram que estavam em uma emboscada armada pelos Comensais da Morte.

Foi Snape que salvou suas vidas, avisando a Ordem o que Harry tinha visto; Sirius, Kingsley Shacklebolt, Ninfadora Tonks, Remo Lupin, Alastor Moody, e depois Alvo Dumbledore chegaram ao Ministério e começaram a lutar contra os Comensais da Morte.

200px-Gary-oldman-top-11sirius-black.jpg

Sirius Black duelando com Lúcio Malfoy.

"Harry viu a expressão de medo e surpresa no rosto devastado e outrora bonito do seu padrinho quando ele atravessou o arco e desapareceu além do véu, que esvoaçou por um momento como se soprado por um um vento forte, depois retornou à posição inicial."
—Descrição da morte de Sirius por sua queda através do véu.[fnt]

Tragicamente, entretanto, durante um duelo com sua prima Belatriz, Sirius foi abatido com um feitiço, fazendo-o cair pelo Véu na Câmara da Morte.[3]

Notas e ReferênciasEditar

  1. Harry Potter e a Ordem da Fênix - Capítulo 10: "Luna Lovegood"
  2. Na seção dos F.A.Q.S do site oficial de J. K. Rowling, ela afirma que Sirius tinha "por volta dos vinte e dois anos" quando foi preso em Azkaban. Dado que ele foi preso pouco depois de 31 de Outubro de 1981 e frequentou Hogwarts de 1971 a 1978, Sirius teria nascido entre 1 de setembro de 1959 e novembro de 1959.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 Harry Potter e a Ordem da Fênix
  4. Árvore genealógica da família Black
  5. 5,0 5,1 Harry Potter e as Relíquias da Morte
  6. 6,0 6,1 Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban
  7. Harry Potter e a Pedra Filosofal
  8. 8,0 8,1 8,2 Harry Potter e o Cálice de Fogo

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória